Autoridades alemãs desaconselham a utilização de antivírus da Kaspersky

A autoridade de cibersegurança alemã publicou ontem um aviso aos utilizadores dos antivírus produzidos pela Kaspersky de que estariam vulneráveis a ataques.

BSI

O BSI, a autoridade de cibersegurança alemã avisou ontem os utilizadores dos programas antivírus da Kaspersky que a sua informação pode estar em risco.

Segundo as autoridades alemãs, a Kaspersky, que é russa, pode ser obrigada por agentes do governo russo a levarem a cabo ataques no estrangeiro ou o governo da Rússia pode usar a tecnologia da empresa para lançar ciberataques sem o conhecimento da própria Kaspersky.

A Kaspersky publicou um comunicado, em que nega quaisquer ligações ao governo russo e que o aviso do BSI teve motivações políticas. No mesmo comunicado é mencionado que a Kaspersky já entrou em contacto com o BSI para clarificar o assunto.

A Kaspersky diz que os dados dos seus clientes baseados na Alemanha são processados em dois datacenters na Suíça desde 2018 e que a telemetria da utilização dos seus produtos é processada em vários países, como a Alemanha e o Canadá.

É mencionado também que todo o código dos seus produtos pode ser avaliado pelos clientes para verificarem se existem quaisquer problemas de segurança.

O aviso do BSI vem no seguimento da invasão da Ucrânia pela Rússia que já vai no 21º primeiro dia.