Seagate apresentou o primeiro disco rígido mecânico com interface NVMe

A Seagate diz que esta nova drive não é só velocidade, mas também com simplicidade e redução de custos.
hdd SFC

A Seagate apresentou esta semana, na cimeira mundial do Open Computing Project (OCP) o primeiro disco rígido mecânico com uma interface NVMe. Naturalmente, limitar as velocidades mais altas das ligações PCI Express às velocidades, muito menores, que se conseguem obter com discos mecânicos, não parece ser uma ideia muito útil, mas pode trazer benefícios no mercado empresarial.

A Seagate dá mais detalhes acerca deste projecto no seu blogue oficial, incluindo como funciona e os benefícios potenciais de uma solução deste tipo. Foi também publicado um documento com que descreve as especificações técnicas. A Seagate espera que estes discos cheguem ao mercado nos próximos anos.

Os diagramas da Seagate, mostram o disco rígido ligado através de PCI Express 3 e 4, usando caixas feitas especialmente para o efeito. O disco usa as ligações NVMe normais, mas a Seagate diz que tem adaptadores “Tri-Mode” com SAS, SATA e NVMe.

Segundo a Seagate, os novos discos devem começar a ser distribuídos a clientes seleccionados em Setembro de 2022, e devem começar a chegar ao mercado em geral em meados de 2024.

A ideia de construir um disco rígido com mecânica e magnética com uma interface NVMe, pode parecer estranha. Nos últimos anos, o mercado de consumo tem vindo a mudar dos discos rígidos mecânicos tradicionais para os SSD, porque a tecnologia de memória Flash permite ler e escrever dados muito mais depressa. O aparecimento das ligações directas à motherboard através de NVMe em vez de SATA, conseguiu fazer com que as velocidades de transferência de dados aumentassem ainda mais. A utilização de uma ligação NVMe num disco mecânico pode não trazer os benefícios de velocidade que traz às drives que usam memória Flash e a descrição publicada pela Seagate também não fala nada acerca de desempenho.

Em vez de um aumento de desempenho, a Seagate diz que os benefícios principais desta ideia são o custo e a simplicidade, particularmente em servidores e estações de trabalhos, que ainda usam quase exclusivamente discos mecânicos por causa do custo por gigabyte ser muito mais baixo em relação ao dos SSD. Fazer a transição de SATA para NVMe quer dizer que são empregues menos componentes, tornando as unidades mais baratas e menos propensas a falhas. A Seagate também diz que estas drives também podem evoluir mais depressa e consumir menos energia.