GTA: The Trilogy – The Definitive Edition tem um lançamento desastroso

Se estava à espera da reedição deste clássico da Rockstar Games para matar saudades, talvez seja melhor poupar dinheiro e voltar a instalar os jogos originais.

Costuma-se dizer que “quem tudo quer, tudo perde”, e aparentemente a Rockstar Games está a sofrer com isso mesmo. No dia 11 de Novembro, a Rockstar Games decidiu relançar a triologia do Grand Theft Auto III, que incluí o título original e as expansões Vice City e San Andreas, numa altura em que se celebra 20 anos desde o lançamento original, mas esta reedição está longe de ser o sucesso que muitos esperavam.

A grande mudança nesta reedição é a adaptação dos jogos originais para um novo motor gráfico, o Unreal Engine, que embora seja um motor gráfico excepcional e utilizado em inúmeros títulos de referência, acabou por tornar esta mudança num autêntico disparate. São tremendas as falhas gráficas do jogo, ao qual se junta a redução significativa na banda sonora, a impossibilidade de usarmos as nossas próprias músicas, e a redução no número de cheats disponíveis.

Como se isso não bastasse, a Rockstar Games, ao receber tanto feedback negativo, optou por desactivar o seu próprio Launcher, que impedia os jogadores de correr qualquer jogo da editora (como GTA V, Red Dead Redemption II e outros), desactivação essa que durou 3 dias, tendo sido reposto o acesso à biblioteca de jogos, mas ainda sem GTA: The Trilogy – The Definitive Edition, algo que só acabaria por ocorrer ontem, a 15 de Novembro.

Como se não bastasse, as reviews têm sido bastante fracas, com a Metacritic a revelar uma média de 61 pontos num total de 11 análises, mas é na média de pontuação de utilizadores que GTA: The Trilogy se destaca, pela negativa, com uma pontuação média de 0.8, com base num total de 2672 avaliações, tendo chegado a estar com uma média de 0.5. Conseguirá a Rockstar Games recuperar da má imagem gerada por este lançamento desnecessário? Só o tempo o dirá.