Sea of Roses: o primeiro jogo dos portugueses Crescent Tea Studios é sobre género e relações amorosas

©Crescent Tea Studios
©Crescent Tea Studios

O estúdio nacional Crescent Tea Studios, fundado por André Fidalgo Silva, Andreia Santos Batista e Ariana Parrilha, publicou esta semana o seu primeiro jogo: Sea of Roses.

Este título aborda «temáticas como a violência no namoro e os papéis de género e a influência que a cultura pode ter nestes temas», explicam os produtores do jogo.

Sea of Roses segue a história de Marion, que um dia acorda no sótão da sua casa sem se lembrar de como foi ali parar. A protagonista começa então a aperceber-se de que algo está mal: há uma rapariga que não conhece a viver em sua casa e a vila não parece ser a mesma.

«Confusa e com apenas algumas das suas memórias, Marion parte numa aventura para perceber como chegou a este novo mundo, que lhe parece tão familiar, mas que parece estar repleto de estranhos e mistérios por desvendar», polde ler-se na sinopse de Sea of Roses.

Este jogo de aventura e exploração 2D está apenas disponível em inglês e foi criado com arte desenhada à mão sob o motor de jogo Godot. Sea of Roses está no Steam e pode ser jogado em Windows, macOS e Linux.