Instituto Pedro Nunes lidera projecto europeu para desenvolver a nova geração de segurança em IoT

Blockchain, chained encryption, identificadores descentralizados, eSIM, biometria ou federated AI serão algumas das ferramentas usadas neste projecto.
©Alan J. Hendry
©Alan J. Hendry

O Instituto Pedro Nunes (IPN) está à frente de um consórcio com mais onze membros de países europeus que será o responsável pelo desenvolvimento da «próxima geração de mecanismos de segurança em sistemas e dispositivos de IoT». Neste grupo está ainda a empresa nacional Load Interactive.

A missão do ARCADIAN-IoT (autonomous trust, security and privacy management framework for IoT) passa por criar «mecanismos e tecnologias inovadores de gestão de segurança e privacidade para serem integrados numa variedade de contextos e aplicações». Para isso, o consórcio vai usar «blockchain, chained encryption, identificadores descentralizados, eSIM, biometria ou federated AI».

Segundo Sérgio Figueiredo, coordenador do projecto ARCADIAN-IoT, o objectivo passa ainda por manter o «equilíbrio entre as funcionalidades, desempenho, usabilidade e custo dos dispositivos», um cenário considerado «vital para as empresas, especialmente PME».

A segurança é vista como um dos critério mais importantes no universo dos dispositivos IoT, até porque será natural que o malware para atacar hardware ligado à Internet, como câmaras e sensores, cresça nos próximos anos.

«É urgente a necessidade de soluções seguras, pois os ataques têm vindo a tornar-se mais sofisticados», lembra Sérgio Figueiredo. O consórcio prevê que, até 2025, haja mais de 75 mil milhões de dispositivos conectados.

Além de criar sistema de segurança para IoT, o ARCADIAN vai ainda «promover soluções inovadoras no domínio dos sistemas de emergência e vigilância com drones e IoT e monitorização das infraestruturas smart grid». Para conhecer com mais detalhe este projecto, pode visitar o site oficial.

Exit mobile version