euPago ajuda empresas e particulares com os pagamentos das vendas online

A startup tem um sistema de pagamento que permite às PME e até aos particulares receberem os valores provenientes do e-commerce e está a tentar fomentar as vendas online em Portugal. Além disso, está também a criar um centro para fintechs nacionais para ajudar «ideias com potencial».
Telmo Santos e José Veiga

A euPago iniciou actividade em 2015, mas a visão de «colocar à disposição dos comerciantes meios de pagamentos electrónicos a troco de uma comissão» e a criação da empresa surgiram bem antes, explica Telmo Santos, co-CEO e co-fundador da startup. O responsável e o outro fundador/CEO, José Veiga, tiveram de esperar «três anos pela licença do Banco de Portugal» para começar a operar, já que o mercado financeiro é altamente regulado.

A fintech tem como principal objectivo «permitir que os pequenos comerciantes, com menos recursos técnicos e financeiros, tenham as mesmas oportunidades que as grandes empresas». Neste momento de crise, a empresa quer «ajudar as marcas a entrarem no mundo digital», salienta Telmo Santos.

O CEO revela que o que distingue esta startup de outras que actuam no mercado financeiro, com o mesmo tipo de solução, é a visão e a experiência: «O José Veiga trabalha em e-commerce há mais de vinte anos e o meu trabalho sempre esteve ligado à Internet. Por isso, acompanhamos esta evolução desde muito cedo, crescemos a experimentar coisas novas nesta área. É evidente que todo o know-how adquirido ao longo de muitos anos, nos permite ter uma visão transversal e futurista que nos leva a desenvolver soluções inovadoras para os nossos clientes».

Futuro europeu
A euPago já iniciou o seu processo de internacionalização com a entrada em Espanha e, neste momento, está a «analisar e a ponderar» novos mercados europeus, diz Telmo Santos. A startup tem uma equipa de trinta pessoas e espera «contratar mais em breve», para continuar a crescer e consolidar a actividade no mercado espanhol e nacional. Telmo Santos explica que os planos são claros: «Trabalhar diariamente para fazer a diferença no sector. Já somos um dos principais players em Portugal e agora queremos ser uma instituição de referência na Europa. Sabemos que não vai acontecer por acaso e que só vai ser possível se continuarmos a inovar com novos produtos e funcionalidades». É por isso que o CEO avança que a startup vai ter «novidades em breve».

Apoiar outras startups
A euPago finalizou, este ano, um investimento de dois milhões de euros na criação do escritório74 no Porto, que pretende transformar no maior centro de Fintech em Portugal. O empreendedor esclarece que «o principal objectivo é apoiar ideias com potencial» e refere que a fintech quer ajudar «os mais novos que por falta de meios ou recursos não conseguem avançar».

José Veiga diz que a ambição é apadrinhar «vinte startups até final do ano, novas ou já existentes» e Telmo Santos revela os motivos desta decisão: «Nos últimos tempos, a empresa cresceu e estabilizou, o que nos permitiu pensar mais à frente. Entre algumas ideias, surgiu esta de investir em algo que marcasse realmente a diferença não só para nós, mas também para outras pessoas. Estamos confiantes de que a nossa experiência será uma mais-valia e poderá incentivar novos negócios e novos empreendedores com ideias futuristas e inovadoras».