NTECH Slayer MACH1

Depois de ter nos surpreendido com a nova geração de placas gráficas, a Nvidia apresenta uma nova geração para portáteis.

Este computador portátil, fornecido pela Assismática devido à sua disponibilidade limitada, recorre ao chassis NH55 da Clevo, um dos maiores fabricantes de computadores portáteis, que vende não só directamente para as lojas, como para outros fabricantes. Não acredita? Então procure por ‘Gigabyte G5 RTX 30 Series’, e vai ver que o chassis (e a própria configuração) é exactamente a mesma que este computador NTECH.

Mas o que tem este Slayer MACH1 de tão especial? Simples, a nova geração de placas gráficas GeForce RTX 30 da Nvidia, mas já lá vamos. Visualmente este NTECH é estranhamente elegante, com um chassis relativamente compacto, mas ainda assim com características interessantes, como o eficaz sistema de arrefecimento para o processador e placa gráfica com quatro heatpipes, duas ventoinhas de grandes dimensões e três zonas para a extracção do ar quente gerado.

Preparado para os jogos
Um dos elementos de destaque é o ecrã de 15,6 polegadas, que tem a particularidade de usar uma resolução FullHD (1920 x 1080), com uma taxa de actualização de 144 Hz. Contudo, não nos impressionou na reprodução correcta das cores – tem apenas 72% do espectro RGB. Felizmente, nos jogos, este requisito não é tão essencial quanto em trabalhos de edição de imagem e vídeo; em contrapartida, poderá sempre ligar este NTECH a três monitores, tirando partido das ligações HDMI, Mini DisplayPort e DisplayPort, via USB-C.

Este chassis conta ainda com um teclado RGB personalizável, um touchpad de grandes dimensões (que revelou ser bastante preciso) e os principais tipos de ligações, como USB 3.2 Gen2, USB-C 3.2 Gen2, USB 2.0, Gigabit Ethernet, áudio de 3,5 mmetdetdded e leitor de cartões.

Configuração a sério
Como dissemos no início, o que torna este NTECH tão especial é a presença da novíssima geração de placas gráficas da Nvidia, mais concretamente uma GeForce RTX 3060 com 6 GB de memória dedicada, tendo esta a particularidade de ser uma versão completa, e não a Max-Q, que tende a trabalhar a velocidades mais baixas, devido às limitações térmicas mais exigentes.

Esta placa gráfica, aqui associada a um Intel Core i7-10870H de oito núcleos que pode trabalhar até aos 5 GHz, conta ainda com 16 GB de memória RAM do tipo DDR4 a 2667 MHz, e um SSD do tipo PCIe NVMe de 512 GB, tendo esta configuração revelado um desempenho bastante acima do esperado, tudo isto graças à placa gráfica. Se os testes de sistema não são extraordinários, o mesmo não podemos dizer dos resultados nos jogos, que são tão impressionantes que chegam mesmo a equiparar-se aos de uma RTX 2060 Super ou RTX 2070, mas de vertente desktop, ou seja, sem as limitações térmicas e energéticas de um computador portátil.

Só por brincadeira decidimos colocar esta RTX 3060 a minerar Ethereum e verificámos que não tem qualquer tipo de limitação como as RTX 3060 de 12 GB, tendo atingido um hashrate de 38 MH/s por defeito e de 43 MH/s, quando optimizada, o que lhe garante um desempenho de mineração superior ao de uma RTX 2070 Super, o que é impressionante.


Distribuidor: Niposom

Site: niposom.pt

Preço: €1399


Benchmarks

  • PCMark 10 – 6028
  • PCMark 10 Productivity: 7423
  • 3D Mark FireStrike:18 528
  • 3D Mark Sky Diver: 44 899
  • FarCry 5 1080p Ultra: 106 fps
  • Shadow of Tomb Raider 1080p DX12 Highest: 97 fps

Ficha Técnica

Processador: Intel Core i7-10870H a 2,2 GHz
Memória: 2 x 8 GB DDR4 2666 MHz
Armazenamento: 512 GB SSD NVMe
Placa Gráfica: Nvidia GeForce RTX 3060 6GB
Ecrã: 15,6” IPS 144 Hz (1920 x 1080)
Ligações: 2 x USB 3.1 Gen2, USB-C 3.1 Gen2, USB 2.0, HDMI, Mini DisplayPort, Gigabit Ethernet, leitor de cartões SD, jack 3,5 mm
Dimensões: 361 x 258 x 32,5 mm
Peso: 2,7 kg


Exit mobile version