Novos processadores Intel Rocket Lake-S estreiam divisor de memórias

O controlador de memória dos novos processadores Intel permitirá usar memórias com frequências mais altas, mas o desempenho será pior, devido às maiores latências.

Intel-11th_Gen-Core-desktop-8
Intel Corporation

Os novos processadores Intel Core de 11ª geração, designados de Rocket Lake-S, irão utilizar uma arquitectura totalmente nova, desenvolvida por Jim Keller, um dos responsáveis pela arquitectura Zen utilizada nos processadores Ryzen da AMD. Entre as diversas novidades reveladas durante a apresentação destes novos processadores, encontra-se um novo controlador de memória, que além de passar a suportar memórias até 3200MHz, irá conter uma novidade que pode gerar alguma confusão para muitos utilizadores.

Trata-se da tecnologia Intel Gear Mode, que é no fundo um divisor da frequência do controlador de memória e das próprias memórias, de actuação similar ao AMD Infinity Fabric dos processadores Ryzen, que permite criar uma divisão adicional para que possa utilizar memórias com frequências superiores, sem precisarem de estar sincronizadas com a frequência do controlador de memória.

Isto significa que entre utilizar o Intel Gear em modo automático, em modo Gear1 e Gear 2, vão existir diferenças significativas, já que em modo Auto, as memórias são sincronizadas com o controlador de memória, mas com as definições de fábrica pela JEDEC.

Com o modo Gear1, é utilizado um divisor de memórias 1:1, pelo que as memórias poderão funcionar de forma sincronizada com o controlador de memória até um máximo (oficial) de 3200MHz, podendo optar pelo modo Gear2 para permitir usar as memórias a uma velocidade superior à suportada pelo controlador de memória.

GamerNexus

Segundo o portal Gamer Nexus, no seu mais recente vídeo sobre o novo Intel Core i7-11700k, que foi adquirido numa loja, daí não estar sob efeito do embargo da Intel, a utilização do modo Gear utilizado poderá ter uma influência significativa no desempenho do sistema, mesmo utilizando a mesma frequência (3200MHz) em ambos os casos.

Em jogos como GTA V a 1080p, com os detalhes no máximo, registaram 139 fps usando o modo Gear1 e 131 fps usando o modo Gear2, resultado esse que voltaria a repetir-se em outros testes como Hitman 3, com 140 fps no modo Gear1 e 134 fps no modo Gear2, ou 304 fps no modo Gear1 e 290 fps no modo Gear2 em F1 2020.

 

GamerNexus

Isto confirma que embora o modo Gear2 tenha sido criado para permitir utilizar memórias com frequências superiores às suportadas pelo controlador de memória, que o sistema acaba por ter que compensar com a utilização de latências significativamente mais elevadas, o que por sua vez acaba por reduzir o desempenho geral do sistema.

Assim sendo, se desejar investir na nova plataforma Intel Rocket Lake-S, com as novas motherboards com chipsets da série 500 (Z590, B560 e H570), deverá optar pelo modo Gear1, e forçar manualmente as frequências das memórias até ao máximo suportado pelo controlador de memória do processador, ou seja, 3200MHz.