China compra equipamento de fabrico de semicondutores usado ao Japão para evitar sanções americanas

Máquinas, que até agora não valiam nada, estão a ser compradas por quase um milhão de dólares.

As sanções impostas aos fabricantes de semicondutores chineses pelos Estado Unidos da América estão a ter um impacto tremendo nas empresas dos dois países. No entanto, algumas empresas japonesas têm lucrado bastante com a venda de equipamento em segunda mão que não está abrangido pelas sanções.

Segundo o Nikkei Asia, as empresas chinesas de fabrico de semicondutores chinesas têm vindo a comprar cada vez mais máquinas em segunda mão, o tem como consequência o aumento do preço destes equipamentos. Com a falta de semicondutores a nível global, que tem afectado várias indústrias, mesmo os equipamentos mais antigos estão a ser vendidos muito rapidamente, o que tem feito com que o seu valor tenha crescido três vezes.

Segundo a Mitsubishi UFJ Lease & Finance, um dos vendedores deste tipo de equipamentos, cerca de 90% das máquinas usadas estão a ir para a China e algumas que não valiam praticamente nada estão a ser vendidas por 100 milhões de ienes, mais de 900000 dólares.

Em Setembro do ano passado, o governo dos Estados Unidos da América impôs sanções à maior empresa de fabrico de semicondutores chinesa, a Semiconductor Manufacturing International Corporation (SMIC). Também a adicionou à mesma lista de empresas que necessitam de uma licença especial do governo americano, para poderem fazer negócios com empresas americanas, onde já estava a Huawei.

Através destas compras no mercado japonês, a China tem como objectivo tornar-se mais independente das empresas americanas de alta tecnologia e assim limitar o impacto das sanções americanas.

Exit mobile version