AMD responde ao DLSS da Nvidia com o sistema FidelityFX Super Resolution ainda este ano

Este sistema, desenvolvido pela AMD para rivalizar com o DLSS, chega este ano e deverá funcionar em placas gráficas mais antigas.
Radeon RX 6000
AMD

O sistema DLSS (Deep Learning Super Sampling) da Nvidia tornou-se uma das funcionalidades preferidas de quem joga em PC, porque, na sua segunda encarnação, a Nvidia acertou e o sistema consegue produzir imagens com grande qualidade com um impacto mínimo no desempenho gráfico do sistema, especialmente em títulos que possam usar a tecnologia de simulação de iluminação e reflexos ray tracing nos seus gráficos. Cada vez mais títulos estão a adoptar o DLSS, o que torna as placas gráficas RTX da Nvidia ainda mais desejadas.

Por outro lado, a AMD está um pouco atrasada e ainda não tem uma solução semelhante que funciona na sua família de gráficas Radeon. Embora a AMD tenha começado a fazer “batota”, para tentar obter os mesmos resultados através da utilização de gráficos de resolução mais baixa, em conjunto com o sistema Radeon Sharpening ou em conjunto com o FidelityFX Contrast Adaptive Sharpening (CAS), não é a mesma coisa. A coisa boa desta solução é que não implica que quem desenvolve os jogos tenha de adicionar código específico para que esta solução funcione, ao contrário do que acontece com o DLSS.

FidelityFX Super Resolution

A AMD tem estado a trabalhar na tecnologia FidelityFX Super Resolution (FSR), que pode funcionar em vários modelos de placas gráficas com GPU Radeon, incluindo os sistemas gráficos das consolas PlayStation 5 e Xbox. O desenvolvimento tem sido lento, porque a AMD quer obter bons resultados desde o início. Esta é a razão pela qual o sistema não foi lançado simultaneamente com as novas Radeon RX 6000 ou com as consolas de nova geração.

Durante uma entrevista dada ao canal de Youtube da revista PC World, o vice-presidente para a divisão de gráficos da AMD, Scott Herkelman, disse que o trabalho de desenvolvimento do sistema FidelityFX Super Resolution está a “progredir muito bem internamente”. Herkelman também disse que a avaliação de qualidade do algoritmo vai demorar mais tempo, mas que a empresa fez do lançamento do FSR uma prioridade para o ano de 2021.

A AMD tem tradição em tornar as suas tecnologias o mais abertas possível e que funcionem num máximo de plataformas possível e o sistema FSR não será excepção.

Herkelman explicou na entrevista que o sistema FSR não será necessariamente baseado em machine learning, o que pode dar alguma esperança aos utilizadores que tenham sistemas gráficos Radeon mais antigos. Parece que a AMD está a preparar-se para lançar o sistema FSR para todo o hardware que seja compatível de uma só vez, por isso, a nova tecnologia de upscaling da AMD tem boas hipóteses de ser baseada, na API DirectML da Microsoft.