Versão gratuita do LastPass vai ser limitada

A partir de 16 de Março, os utilizadores da versão gratuita do gestor de passwords LastPass vão ter de optar entre o computador e os dispositivos móveis.
LastPass

A utilização da versão gratuita da aplicação de gestão de passwords LastPass vai ser alterada a partir de 16 de Março de 2021. A partir dessa data, os utilizadores que não paguem terão de optar entre usar a aplicação no computador ou em dispositivos móveis.

Assim que a alteração estiver em vigor, na vez seguinte que os utilizadores usarem o LastPass gratuito, será verificado se estão a aceder a partir de um computador ou de um dispositivo móvel. Se for um computador, a utilização terá de ser feita exclusivamente a partir dessa plataforma (seja desktop ou portátil). Se o acesso for a partir de um smartphone ou tablet, o acesso só poderá ser feito a partir de iOS ou Android. Isto inclui tablets e relógios inteligentes (os tablets Windows são considerados computadores).

Os utilizadores poderão alterar o tipo de dispositivo usado três vezes.

A LogMeIn, a empresa responsável pelo LastPass, que tem cerca de 25 milhões de utilizadores activos em todo o mundo, diz que, apesar desta alteração, os utilizadores não perderão o acesso aos seus dados. A única limitação é na quantidade de plataformas diferentes (computador ou móvel) que podem ser utilizadas em simultâneo. Por exemplo, após a alteração, poderá continuar a utilizar o LastPass em vários PC diferentes, mas se depois tentar aceder através do seu smartphone, o acesso será bloqueado e o utilizador será dirigido para a versão para computador.

As alterações ao LastPass não se ficam pela limitação das plataformas, também será eliminado o suporte técnico por correio electrónico a todos os utilizadores da versão gratuita. Para resolver quaisquer problemas que possam surgir, esses utilizadores terão de recorrer aos fóruns do LastPass ou à biblioteca de conhecimento do programa.

Naturalmente, estas alterações servem para empurrar os utilizadores para a versão paga, que custa 36 dólares por ano e que elimina as novas limitações.