Mineração de criptomoedas está a arruinar stocks de computadores portáteis

Com a falta de placas gráficas, utilizadores têm recorrido a computadores portáteis para as suas quintas de mineração de criptomoedas.

Com os preços das criptomoedas a subir novamente em flecha, aumenta a procura de componentes para a criação de novos computadores para a mineração dessas moedas virtuais. Isso tem levado ao desaparecimento de todo o tipo de placas gráficas, bem como ao aumento desenfreado do seu preço.

Com a falta de placas gráficas, alguns utilizadores estão a virar-se para os computadores portáteis, especialmente os modelos equipados com placas gráficas GeForce RTX, que utilizam os melhores GPU para mineração.

O mais curioso disto é que os portáteis que têm registado maior procura nem são os modelos novos, com as novas RTX 30, já que estes ainda só existem em pouca quantidade, são bastante dispendiosos, e não conseguem mais que 60 MH/s (milhões de hashes por segundo) em gráficas como a RTX 3060 Ti e 3070, devido à velocidade do controlador de memória de 192 e 256-bit, respectivamente.

Isto significa que um portátil com uma RTX 2070 com controlador de 256-bit, que é significativamente mais barato, conseguirá resultados muito próximos. Se está a pensar em aproveitar o seu computador portátil para minerar criptomoedas, tenha em consideração que isso levará a GPU do seu equipamento aos limites, não só em termos de consumo de energia, como de calor gerado, e reduzirá a sua duração de vida, tudo isto a troco de ganhos inferiores a 10 euros por dia (usando o Ethereum como referência).