Segundo a AMD, a tecnologia Smart Access Memory não é exclusiva para o seus produtos

A AMD espera ter a oportunidade de certificar a sua tecnologia Smart Access Memory para utilização em produtos de outras empresas, como a Intel e Nvidia.
Radeon

A AMD diz que a sua tecnologia Smart Access Memory não está bloqueada aos seus processadores Ryzen 500 e gráficas Radeon RX 6000. Só ainda não trabalhou com outros construtores para permitir a sua utilização em produtos que sejam fabricados pela AMD, mas espera vir a fazê-lo no futuro.

Esta afirmação vem na sequência de a Nvidia ter encontrado uma forma de usar uma tecnologia semelhante em sistemas com processadores Intel e gráficas Nvidia, indicando que este tecnologia não está restringida a hardware PCIe 4 nem ao hardware fabricado pela AMD.

Até este ponto os papeis estavam invertidos, com a AMD a lançar uma nova tecnologia que apenas funcionava com seu hardware, uma táctica usada várias vezes pela Nvidia.

Mas, aparentemente, a tecnologia era exclusiva do hardware AMD, porque a empresa estava ainda a afiná-la na altura do lançamento.

A AMD publicou uma nota que a tecnologia Smart Access Memory é baseada numa funcionalidade da norma PCIe chamada Resizable BAR, que por isso, funciona noutro hardware. No entanto, a AMD está neste momento a validá-la apenas em sistemas que juntam CPU Ryzen 5000 e gráficas Radeon RX 6000.

Segundo o artigo da AMD, a tecnologia Smart Access Memory tem como base a norma PCIe e normas aprovadas para firmware (Resizable BAR) e foi desenvolvida recorrendo a um sistema de validação e optimização muito exigente.

Tentar validar uma nova funcionalidade para processadores gráficos na vasta quantidade de hardware para jogos em PC seria impraticável neste momento e, por isso faz algum sentido que a AMD certifique primeiro os seus próprios produtos, mesmo sendo uma tarefa complicada dada a gigantesca quantidade de combinações possíveis dentro da sua oferta de produtos. 

Apesar disto, a AMD irá, quase de certeza, fazer as coisas um pouco mais devagar quando chegar a altura de certificar o hardware da Nvidia e os processadores Intel.