Kioxia Exceria NVMe

A Toshiba mudou o nome da sua divisão de produtos de memória. Esta é a análise primeiro SSD com a nova denominação.

A Toshiba Memory mudou de nome, designando-se agora de Kioxia. Que implicações tem essa mudança?

Praticamente nenhumas, além do nome da marca, e de alguns produtos. Um desses exemplos é a nova Kioxia Exceria NVMe, uma unidade SSD do tipo M.2 NVMe, que é no fundo um módulo Toshiba RC500. Este tem a particularidade de ser totalmente produzido pela Kioxia, tanto a nível de módulos de memória, como do próprio controlador, tanto que este ainda tem gravado ‘Toshiba’ enquanto marca.

Disponível em versões com 256 GB, 500 GB e 1 TB, estes módulos utilizam chips de memória do tipo BiCS Flash 3D, sendo estes compostos por uma estrutura de células empilhadas verticalmente, uma solução que permitem aumentar significativamente a densidade da capacidade por chip de memória, tornando assim a produção de chips com maior capacidade mais acessíveis.

Apesar de esta solução ser, à partida, menos indicada que chips com arquitectura SLC (células de camada simples) em termos de fiabilidade, a Kioxia anunciou um MTTF (tempo médio entre falhas) de 1,5 milhões de horas e uma resistência TBW (total de bytes escritos) de 200 TB (para a unidade de 500 GB), valores mais do que suficientes para aproximadamente seis anos de utilização intensiva (cerca de 100 GB de dados gravados por dia).

Em termos de desempenho, a unidade fornecida pela Kioxia para este teste é a de 500 GB, o que segundo o fabricante, garante 1700 MB/s de velocidade máxima de leitura sequencial, e 1600 MB/s de velocidade de escrita sequencial, valores esses muito próximos dos que registámos, de 1588 MB/s e 1537 MB/s, respectivamente. Em termos de valores aleatórios, obtivemos valores próximos de 350 mil IOPS de velocidade de leitura, e 400 mil IOPS de velocidade de escrita.


Distribuidor: PCDiga

Site: kioxia.com/pt-pt

Preço: €86,90


Ficha Técnica

Capacidade: 512 GB
Ligações: M.2 PCIe 3.0 x4 NVMe
Dimensões: 80 x 22 mm


Selo PCGuia Excelência