Há um novo supercomputador em Portugal: chama-se Deucalion e junta-se ao BOB, no MACC

O Deucalion é um supercomputador de nível petascale: quando estiver implementado no MACC será capaz de executar, pelo menos, 10 PFlops.
©INCoDE2030
©INCoDE2030

Vai chegar a Portugal quase um ano depois de os responsáveis pelo Programa Portugal INCoDe.2030 terem assinado o contrato de alojamento em Estrasburgo. O supercomputador Deucalion “aterra” no Minho Advanced Computing Centre (MACC) apenas em 2021, quando a previsão inicial era o final deste ano.

A certeza foi dada durante a sessão Advanced Computing Portugal 2030, que serviu para apresentar o Deucalion, que se vai juntar ao BOB, no MACC. Este é mais um passo que tornar a Europa «líder em computação avançada», disse Khalil Rouhana director-geral adjunto da DG Connect da Comissão Europeia. Segundo o mesmo responsável, Portugal é um país que tem «contribuído de forma positiva e constante» para este objectivo.

Durante a mesma sessão, Manuel Heitor, ministro da Ciência e Tecnologia e do Ensino Superior, lembrou que Portugal está «preparado para implementar diferentes tecnologias simultaneamente e de participar em colaborações internacionais com mercados científicos e de negócio».

O Deucalion é um supercomputador de nível petascale: quando estiver implementado no MACC será capaz de executar, pelo menos, 10 PFlops. Isto vai reforçar de forma significativa as capacidades do supercomputador BOB e contribuir para alargar o «âmbito de actividades a disponibilizar pelo MACC».

«Depois do BOB, o Deucalion materializa um aumento significativo do poder de computação disponível em Portugal e vai permitir um acesso mais facilitado a toda a comunidade do sistema científico e tecnológico nacional para trabalhos no domínio do cálculo intensivo, da ciência de dados e da inteligência artificial», já tinha dito Nuno Feixa Rodrigues, coordenador-geral do INCoDe.2030, durante a assinatura do contrato de alojamento, em 2019.