portugalcasino.pt

Dicas e truques para principiantes no Microsoft Flight Simulator 2020

O novo simulador de voo, Microsoft Flight Simulator, chegou hoje aos PC de todo o mundo, com uma mistura de imagens por satélite e inteligência artificial para obter os gráficos e física mais realista de sempre num simulador de voo para computadores pessoais.

O facto da última versão deste clássico ter sido lançada há mais de 10 anos, quer dizer que esta nova versão está anos-luz de distância da última, tanto ao nível técnico, como em complexidade, mas consegue apelar tanto aos entusiastas da simulação de voo, como aos jogadores que nunca tentaram pilotar um avião virtual no contexto de uma simulação, com um grau de realismo muito maior que outros títulos com aviões.

Este pequeno guia ao essencial do Microsoft Flight Simulator 2020 serve principalmente para dar uma ajuda a este último público, que não sabe distinguir uns flaps piloto automático, mas que se deixou fascinar pelo novo simulador da Microsoft.

Curva de aprendizagem

Não vamos negar que o Microsoft Flight Simulator tem uma curva de aprendizagem algo difícil de ultrapassar (afinal de contas é um simulador), que quando se consegue vencer significa horas de divertimento.

Com a integração de dados de mapeamento e inteligência artificial para recriar o mundo de uma forma muito realista, o Microsoft Flight Simulator consegue ir muito além de qualquer coisa que se fez até hoje neste mercado. O algoritmo do jogo tem como objectivo replicar todos os prédios e árvores e até a meteorologia em tempo real com uma atenção minuciosa ao detalhe. O jogo inclui ainda 37000 aeroportos e aeródromos (incluindo os principais aeroportos e alguns aeródromos particulares que existem em Portugal), também estão presentes 30 aviões que pode usar, desde aviões a hélice até ao 747.

O jogo está disponível em várias versões para PC na loja da Microsoft e na Steam. Antes de o comprar é melhor dar uma vista de olhos aos requisitos mínimos para se certificar de que o seu computador aguenta. Também é aconselhável ter uma ligação à Internet rápida porque muitos dos dados usados no jogo chegam ao seu computador por esse meio.

REQUISITOS DO SISTEMA

MÍNIMOS:

    • Requer um sistema operativo e processador de 64 bits
    • Sistema Operativo: Windows 10
    • Processador: Intel i5-4460 | AMD Ryzen 3 1200
    • Memória: 8 GB de RAM
    • Placa gráfica: NVIDIA GTX 770 | AMD Radeon RX 570
    • DirectX: Versão 11
    • Espaço no disco: Requer 150 GB de espaço livre

RECOMENDADOS:

    • Requer um sistema operativo e processador de 64 bits
    • Sistema Operativo: Windows 10
    • Processador: Intel i5-8400 | AMD Ryzen 5 1500X
    • Memória: 16 GB de RAM
    • Placa gráfica: NVIDIA GTX 970 | AMD Radeon RX 590
    • DirectX: Versão 11
    • Espaço no disco: Requer 150 GB de espaço livre

No que respeita ao controlo dos aviões, embora o teclado e o rato cheguem, mas é aconselhável, no mínimo, a investir num comando para Xbox ou se quiser fazer as coisas mais a sério, num joystick especializado para simulação de voo, como estes.

O básico do voo dos aviões

Para começar, ajuda ter uma ideia de como um avião funciona e como os controlos se relacionam com as acções dentro do jogo.

Simplificando, para voar, um avião necessita de ar e de energia suficiente para fazer passar uma quantidade de ar suficiente pelas asas para criar sustentação. Se quiser saber mais, dê uma vista de olhos a esta página da NASA, que explica tudo.

O controlo de um avião em voo depende de três eixos que afectam como uma aeronave se move num espaço tridimensional:

Pitch: Define como a sua aeronave se move para cima e para baixo. Este movimento é controlado pelos lemes que estão instalados na parte de trás do avião. Neste caso, as forças que são exercidas empurram o nariz e a cauda em direcções opostas, o que faz com que o avião ganhe ou perca altitude.

Yaw: Define a forma como o avião roda para a direita e para a esquerda. Este movimento é controlado pelo leme vertical instalado na parte de trás do avião que aponta o avião na direcção desejada.

Roll: Define como o avião rola para os lados, levantando uma asa e baixando a outra. Este movimento é controlado pelos ailerons instalados em cada asa.

Levantar voo

Todos os voos começam com uma descolagem, em que o piloto acelera o avião numa pista, até atingir a velocidade suficiente para que as asas ganhem sustentação suficiente para fazer voar o avião. A velocidade para voar depende muito do avião que está a ser usado, por isso, normalmente, quanto maior for o avião, maior tem de ser a pista. No processo de descolagem deve usar os flaps (superfícies retracteis que estão instadas nas asas, que servem para aumentar a sua superfície para permitir uma sustentação a velocidades mais baixas) para conseguir usar o mínimo possível do comprimento da pista. Assim que estiver no ar, não se esqueça de recolher o trem de aterragem.

Voar

Durante o voo, para subir puxa-se a manche para trás se quiser subir e para a frente, se quiser descer. Se a empurrar para os lados, o avião rola. Se quiser virar a direcção do nariz do avião terá de usar os comandos de yaw, num avião real isto é feito usando os pedais, os joysticks para simulação de voo simulam os pedais rodando o comando para esquerda e para a direita.

Ao voar, vai reparar que o avião pode começar a subir ligeiramente, mesmo quando não lhe dá um comando para o fazer. É aqui que entra o Trim, este comando serve para ajustar as superfícies de controlo do avião de forma a manter um pitch constante. Num caso real, por exemplo num avião a jacto de passageiros moderno, o piloto automático cuida disto, bastando o piloto definir uma altitude. Em aviões mais pequenos o Trim pode ter de ser ajustado manualmente.

Aterrar

Chuck Yeager, o primeiro piloto a ultrapassar a barreira do som, disse:

“Se depois de aterrar, conseguir sair do avião pelo próprio pé, foi uma boa aterragem. Se o conseguir usar no dia seguinte, foi uma óptima aterragem”.

Aterrar é das operações mais complexas que se podem fazer num avião (virtual ou real). O segredo é primeiro perder velocidade reduzindo a potencia dos motores, estender os flaps, baixar o trem de aterragem, se for o caso, e perder altitude de forma a tocar no inicio da pista com as rodas,

Assim que estiver com as rodas no chão, tem de retirar a potência dos motores e usar os travões (nas rodas e aerodinâmicos, consoante o tipo de avião e ainda os reversores do fluxo de escape dos motores, se for um avião a jacto).

Finalmente tem de fazer o “taxi”, ou seja dirigir-se à zona de parqueamento designada para o seu avião.

Depois do básico, aqui ficam algumas dicas sobre o Microsoft Flight Simulator:

Faça as missões de treino

Como já percebeu, o Microsoft Flight Simulator é um simulador realista, por isso há muita coisa a saber antes de começar a voar como deve ser e tudo o que necessita de saber está nas missões de treino.

Compreendemos que as missões de treino não são as mais interessantes, mas como já dissemos, são através delas que aprende a voar e principalmente a identificar os controlos que não podem não ser muito intuitivos no início.

As missões de treino demoram entre 30 a 40 minutos a completar e quando acabar fica pronto a voar no simulador com mais confiança.

Que aviões usar

Durante o treino vai usar exclusivamente o Cessna 152 que tem uma velocidade de cruzeiro de 107 nós. Esta velocidade é boa para dar umas voltas por uma zona relativamente pequena. Se quiser ir mais longe terá de usar um avião mais rápido.

Aviões a hélice

Aviões a Hélice Microsoft Flight Simulator

Os aviões a hélice, como Cessna 152 são bons para voar a baixas altitudes e a velocidades relativamente baixas. Se planear dar umas voltas por cidades, ou se quiser ver a sua casa a partir do ar, escolha um destes aviões.

Aviões a turbo-hélice

Aviões a Turbo-Hélice Microsoft Flight Simulator

Este tipo de aviões é muito similar aos aviões a hélice normais, mas são duas vezes mais rápidos e podem voar muito mais alto. Servem para quando quer algo mais rápido, depois de se familiarizar com os aviões a hélice.

Aviões a jacto

Aviões a Jacto Microsoft Flight Simulator

Este tipo de aviões serve para quando quiser cobrir grandes distâncias. Estes aviões são muito mais rápidos que os a hélice e conseguem voar a altitudes muito maiores.

Como voar para qualquer lado

Um dos aspecto mais interessantes do Microsoft Flight Simulator é a possibilidade de voar para qualquer ponto do mundo. Pode até ver a sua casa a partir do ar. Mas há coisas a saber primeiro.

A maioria dos sítios mais pitorescos chama-se ‘Points of Interest’. Se o seu objectivo for ver lugares famosos ou maravilhas naturais, só tem de procurá-los no modo ‘World Map / Free Flight’.

Como colocar a funcionalidade ‘Active Pause’

Esta funcionalidade é recomendada no ecrã de carregamento, mas não tem uma tecla atribuída, por isso pode não saber como se usa.

A funcionalidade ‘Active Pause’ permite parar a simulação e olhar à volta do avião. Se premir a tecla de pausa (tecla Esc), são mostradas as opções, o que pode esconder tudo o resto. Por isso, deve atribuir a ‘Active Pause’ a uma tecla. Aconselhamos a tecla ‘CTRL’ visto que não é utilizada pelo jogo e está num lugar muito acessível.

Usar as opções de controlo de tráfego aéreo

Antes de começar a voar, verifique as opções do controlo de tráfego aéreo (ATC Options). Se alterar alguma coisa não vai ter grande impacto no seu voo, mas dá para se divertir um pouco com as mensagens que recebe via rádio enquanto estiver no ar.

O que escrever na matricula do avião vai aparecer na parte de trás do seu avião, pode usar números e letras. E mesmo escrever o seu nome.

O seu indicativo de chamada (call sign) é um conjunto de caracteres que a equipa de controlo de tráfego aéreo usa para o identificar nas comunicações rádio. Quaisquer letras que usar serão usadas através de um alfabeto fonético, mas se usar uma palavra curta pode ser pronunciada.