PCGuia

Intel adia produção de processadores a 7nm para 2022

A Intel revelou os resultados do segundo trimestre de 2020, e embora a situação esteja economicamente estável (devido ao crescimento nas vendas de computadores e portáteis durante a pandemia), a revelação de um novo adiamento de mais seis meses na implementação do processo de fabrico de 7nm, agora para 2022, levou a que as acções da Intel na Bolsa de Wall Street caissem 17%.

Porém, o recém-implementado processo de fabrico a 10nm tem-se revelado bastante estável (após sucessivos atrasos), o que permitirá manter a estratégia anunciada e lançar a 11ª geração de processadores Intel Core (Tiger Lake) para dispositivos mobile, e a 12ª geração de processadores (Alder Lake) para a segunda metade de 2021, bem como os primeiros processadores de 10nm para desktop. 

E, já que falamos em processadores de próxima geração, um documento proveniente da MSI (em russo) acaba de revelar que motherboards equipadas com chipsets de entrada da série 400, como o Intel H410, serão compatíveis com a próxima geração de processadores Intel Core RocketLake-S, deste que o TDP dos mesmos não ultrapasse os 65 W.

Exit mobile version