NotíciasSegurança

Kaspersky: «Ataques de força bruta em países em quarentena aumentaram nos últimos três meses»

Segundo a empresa russa, em Portugal, foram «registados mais de 150 mil ataques» am Abril.

©DR

A Kaspersky revelou números de ataques informáticos que ocorreram entre Fevereiro e Abril e que mostram que os «ataques de força bruta» aumentaram durante o período de confinamento/quarentena.

Segundo a empresa russa, em Portugal, foram «registados mais de 150 mil ataques» am Abril. Isto representa um crescimento de 73% entre aqueles dois meses – de 90 920 para 157 147.

Estes ataques de força bruta foram «direccionados ao Remote Desktop Protocol (RDP), uma das ferramentas de acesso remoto mais populares para postos de trabalho ou servidores».

Um ataque de força bruta tem como objectivo descobrir nomes de utilizador e passwords através de um processo de «tentativa e erro» que insiste até que a combinação certa seja descoberta.

Durante o mês de Março, o número total de ataques de força bruta nos países indicados aumentou de quase 29 milhões para mais de 96 milhões, um aumento de «236% em relação ao número total de ataques que ocorreram em Fevereiro».

A empresa justifica este aumento com a transição forçada para o teletrabalho e deixa uma recomendação: «À medida que o trabalho remoto continua, os funcionários devem tomar precauções de segurança adicionais, como a criação de uma palavra-passe forte para as ferramentas de acesso remoto», revela Dmitry Galov, investigador de segurança da Kaspersky.

PCGuia
Este site utiliza cookies. Ao continuar a utilizá-lo estará a aceitar a nossa política de privacidade e os nossos Termos de utilização. Mais informação acerca da forma como utilizamos cookies está disponível aqui.
×