Notícias

Huawei poderá estar a criar placas gráficas para servidores chineses

Comparativamente a soluções rivais, um processador como o Ascend 910 AI da Huawei já oferece o dobro do poder de processamento do processador Nvidia Tesla V100 de topo.

Nos últimos anos temos assistido a uma evolução constante e, de certa forma surpreendente, dos processadores gráficos, algo que os levou a passarem a ser utilizados como unidades de processamento em alguns dos mais poderosos servidores e supercomputadores a nível global. Num mercado tão específico, actualmente dominado pela AMD e Nvidia, começaram a circular rumores que a Huawei estaria interessada em entrar neste mercado.

Para tal, a Huawei irá utilizar o recém criado Cloud and AI Business Group criado na Coreia do Sul, estando já a recrutar talentos tanto da Nvidia como da AMD, para o desenvolvimento de novos processadores gráficos para servidores. Embora isto possa parecer novidade para muitos, a realidade é que a Huawei já tinha criado em 2019, com sucesso, o processador Ascend 910 AI, que consegue atingir até 256 TFLOP de velocidade de processamento em FPU (FP16) e até 512 TOPS em cálculos de inteiros (INT8).

Estes dados são preccisamente o dobro da actual solução de topo da Nvidia, o Tesla V100, tendo ainda a vantagem de ser produzido usando um processo de fabrico de 7 nm, face aos 12 nm da solução da Nvidia, o que garante um menor consumo energético e menor calor dissipado. Este processador de IA Ascend 910 está a ser utilizado nas placas de aceleração de IA Huawei Atlas 300 PCIe 4.0, placas essas que serão utilizadas nos servidores encomendados pelo Governo Chinês, que já iniciou um processo para substituir todos os actuais servidores provenientes de fornecedores estrangeiros a funcionar em território Chinês.

PCGuia