MobilidadeReviews

Asus ROG Zephyrus G GA502

A nossa análise ao portátil de gaming ROG Zephyrus G GA502 com processador AMD.

Classificação

Medições7
Experiência9.5
Preço9

Gostámos

  • Desempenho gráfico
  • Design elegante

A rever

  • Sem webcam

Ponto final

8.5Elegante, estranhamente leve e fino, este ROG Zephyrus prova que um computador de gaming não precisa de ser exageradamente exuberante, nem de estar dependente de uma plataforma Intel.

Pode um computador portátil destinado aos adeptos de videojogos usar um processador AMD e gráfica Nvidia? Com o Zephyrus G GA502, a Asus demonstra como essa associação é possível, e até acaba por ser uma excelente ideia.

Com este Zephyrus G, a Asus conseguiu um impressionante feito, não só de abdicar das habituais plataformas Intel para um equipamento de gaming, como pelo facto de se manter fiel ao design brilhante dos últimos lançamentos de portáteis da família ROG, com um chassis estranhamente fino, mas com espaço suficiente para todas as ligações necessárias.

Com características como a tampa do monitor com acabamento em alumínio escovado em duas direcções, logótipo ROG iluminado a vermelho e teclado retroiluminado, sentimos a falta de mais alguma acção do habitual sistema de iluminação Aura Sync da Asus, que tem vindo a ser habitual em todos os modelos ROG, bem como a diferenciação nas teclas ‘WASD’ das restantes. Estranhamente, a Asus optou por não integrar uma webcam no equipamento, um requisito cada vez mais desejado para quem quer fazer streaming das suas sessões de jogos.

AMD e Nvidia juntas?
O que diferencia este portátil dos restantes modelos ROG é o facto de a Asus ter recorrido a uma plataforma AMD Ryzen, neste caso um Ryzen 7 3750H, o modelo de topo da AMD que inclui a poderosa controladora gráfica integrada Radeon RX Vega 10, que neste caso é completamente indiferente, já que este ROG Zephyrus G utiliza uma Nvidia GeForce GTX 1660 Ti dedicada.

Para tirar partido desta gráfica, o portátil tem um ecrã de 15,6 polegadas IPS, de resolução Full HD (1920 x 1080), que tem a vantagem de ser compatível com uma taxa de actualização de 120 Hz.
O resto da configuração reúne 16 GB de memória RAM (DDR4 a 2400 MHz) e uma unidade de armazenamento SSD de 512 GB de capacidade, do tipo M.2 NVMe PCIe 3.0. E qual é o resultado de tudo isto?

Uma agradável surpresa
Numa utilização quotidiana, não existem diferenças perceptíveis entre esta plataforma e uma composta por um processador Intel Core equivalente, tendo este modelo em concreto revelado uma maior duração da bateria face aos últimos modelos de gaming que recebemos para teste. No que toca aos resultados dos testes efectuados, verificámos que, em termos de produtividade, esta plataforma Ryzen obteve pontuações mais baixas que as esperdas, tendo ficado mais próximo de soluções equipadas com o (já datado) processador Intel Core i7-8750h.

Porém, assim que acedemos a testes graficamente mais intensivos, a combinação do processador AMD com a gráfica Nvidia revelou resultados bem mais agradáveis, especialmente nos jogos, que ficaram próximos dos que obtivemos, em tempos, com portáteis equipados com a mais poderosa GeForce RTX 2060, que é significativamente mais dispendiosa.


Distribuidor: Asus

Site: asus.pt

Preço: €1399


Benchmarks

  • PCMark 10: 4216
  • PCMark 10 Productivity: 5938
  • 3D Mark Fire Strike: 11 177
  • 3D Mark Cloudgate: 22 888
  • FarCry 5 1080p Ultra: 67 fps
  • Shadow of Tomb Raider 1080p Highest DX12: 56 fps

Ficha Técnica

Processador: AMD Ryzen 7 3750H a 2,3 GHz
Memória: 16 GB DDR4 2400 MHz
Armazenamento: 512 GB SSD NVMe
Placa Gráfica: Nvidia GeForce GTX 1660 Ti 6GB
Ecrã: 15,6” IPS 120 Hz (1920 x 1080)
Ligações: 3 x USB 3.1 Gen 1, USB 3.1 Gen2 Type-C, HDMI 2.0b, RJ-45, jack 3,5 mm
Dimensões: 360 x 252 x 20,4 mm
Peso: 2,1 kg

PCGuia
Este site utiliza cookies. Ao continuar a utilizá-lo estará a aceitar a nossa política de privacidade e os nossos Termos de utilização. Mais informação acerca da forma como utilizamos cookies está disponível aqui.
×