ComponentesReviews

Asus ROG Strix GeForce GTX 1650 OC

Com a chegada da GeForce GTX 1650, a Nvidia consegue democratizar a arquitectura Turing, excluindo certas funcionalidades. Será um bom upgrade às actuais GeForce GTX 1050?

Classificação

Medições4.5
Construção10
Preço/Qualidade9

Gostámos

  • Desempenho a 1080p
  • Qualidade de construção

A rever

  • Preço desta versão ROG Strix

Ponto final

7.8A nova GTX 1650 é a solução ideal para quem queira jogar a 1080p, mas que tenha um orçamento apertado. Só é pena a diferença de preço desta versão ROG Strix para as versões ditas “tradicionais”.

Depois de apresentar ao mercado a arquitectura Turing com quatro modelos de topo (RTX 2060, 2070, 2080 e 2080 Ti), a Nvidia decidiu reutilizar essa mesma arquitectura, removendo-lhe os núcleos Tensor e RT, responsáveis pelo processamento de algoritmos de inteligência artificial e Ray-Tracing, que tornavam as GeForce RTX modelos únicos no mercado. Porém, mesmo sem estas funcionalidades, a arquitectura Turing oferece melhorias significativas face à anterior arquitectura Pascal, pelo que a Nvidia anuncia diferenças de desempenho que podem chegar aos 70% em videojogos mais recentes.

Arquitectura Turing
Visto não contarmos com os núcleos RT e de IA, a grande diferença face à anterior arquitectura Pascal prende-se com a optimização das suas unidades de shader programáveis. Isto obrigou à reorganização de cada unidade SM (Streaming Multiprocessor), que passaram a existir em maior número, mas cada qual com menos Cuda Cores (896 no total).

No interior destes passam a existir unidades de inteiros e de vírgula flutuante ainda mais diferenciadas, embora com a vantagem de conseguirem executar cálculos de cada unidade de forma paralela, ao contrário do que foi possível no passado.

Esta reorganização obrigou a que, mesmo recorrendo a um processo de fabrico mais actual (12 nm), os 4,7 mil milhões de transístores acabem por ocupar um espaço de 200 mm2. O controlador de memória passa a funcionar com um barramento de comunicação de 128 bits, que embora curto, acaba por ser compensado pela elevada velocidade dos 4 GB de memórias GDDR5, a rondar os 8000 MHz efectivos.

Asus ROG Strix OC
Por se tratar de um modelo da família ROG Strix, não é de estranhar a elevada qualidade de construção desta placa da Asus que recebemos para teste, com um circuito de alimentação optimizado, um sistema de arrefecimento Direct CU II com novas ventoinhas mais silenciosas e à prova de acumulação de poeiras, um painel traseiro protector de poeiras (e visualmente mais atraente) e quatro saídas, duas HDMI 2.0b e duas DisplayPort 1.4.

Visto tratar-se de uma versão OC, a Asus aplicou um ligeiro overclock de fábrica o que faz com que a GPU desta GeForce GTX 1650 funcione a 1485 MHz por defeito, podendo o mesmo atingir os 1860 MHz quando aplicado o modo Boost.

Em termos de desempenho, a GTX 1650 consegue lidar com, praticamente, todos os jogos com resolução 1080p, embora em alguns casos tenha sido necessário reduzir ligeiramente algumas das definições gráficas para garantir uma maior fluidez. Comparativamente às anteriores GTX 1050 e 1050 Ti, a nova GTX 1650 é efectivamente superior, ficando apenas ligeiramente atrás do desempenho da GTX 1060, o que é bastante interessante, visto esta ser significativamente mais dispendiosa.


Distribuidor: Asus

Site: asus.com/pt

Preço: €229


Benhmarks

  • 3D Mark FireStrike: 8427
  • 3D Mark TimeSpy: 3901
  • Shadow of Tomb Raider (1080p Highest DX12): 46
  • FarCry 5 (1080 Ultra): 58

Ficha Técnica

GPU: TU117
Núcleos Stream: 896
Velocidade de relógio: 1485 MHz (1860 MHz Boost)
Interface: PCI Express 3.0
Memória: 4 GB GDDR5
Velocidade da memória: 8000 MHz
Interface de memória: 128-bit

PCGuia
Este site utiliza cookies. Ao continuar a utilizá-lo estará a aceitar a nossa política de privacidade e os nossos Termos de utilização. Mais informação acerca da forma como utilizamos cookies está disponível aqui.
×