MercadosNotícias

Google multada (outra vez) pela Comissão Europeia

Depois de em Julho do ano passado ter sido multada em mais de 4 mil milhões de euros por causa do Chrome, a Google voltou a ser visada pela Comissão Europeia, desta vez por causa do Adsense.

Comissão Europeia

A Google voltou a ser multada pela Comissão Europeia, agora em 1,5 mil milhões de euros, por causa de práticas anticoncorrenciais relacionadas com os termos dos contratos impostos aos clientes do sistema de publicidade AdSense.

Para quem não sabe, o serviço AdSense permite, entre outras coisas, aos detentores de sites ou blogues colocarem publicidade que é vendida e servida através da Google que depois partilha os resultados com os editores desses sites.

Numa conferência de imprensa dada hoje, a comissária da concorrência da União Europeia, Margrethe Vestager, disse que a Google abusou da sua posição dominante e forçou os clientes do serviço AdSense a recusar publicidade vinda de concorrentes da empresa americana.

Segundo a comissária europeia: “Estas práticas ilegais da Google duraram mais de 10 anos e impediram outras empresas de competir e inovar neste mercado.”

Este é a terceira multa imposta à Google pela União Europeia nos últimos anos e é o culminar da última investigação feita à empresa. No ano passado a Google já tinha sido multada em 4,3 mil milhões de euros por abuso de posição dominante no mercado móvel. Há dois anos a multa foi de 2,4 mil milhões por manipulação de resultados de busca. A Google recorreu e ambas os processo estão ainda em tribunal.

No total as multas que a UE quer cobrar à Google já vão em 8,2 mil milhões. A penalização anunciada hoje é a mais baixa de todas, porque a empresa colaborou com a Comissão Europeia para alterar as políticas de utilização do serviço AdSense a partir do momento em que a investigação começou em 2016.

Segundo a UE, desde 2006 a Google impediu os clientes do serviço AdSense de utilizarem motores de busca rivais nos seus sites. O serviço permite aos clientes colocar um motor de busca da Google nas suas páginas. Quando esse motor de busca era utilizado, eram mostrados anúncios e os resultados eram partilhados com o dono do website.

No início os clientes do AdSense não podiam colocar motores de busca de empresas rivais da Google. A partir de 2009 a empresa começou a permitir a inclusão de motores de busca rivais, desde que a caixa de busca da Google tivesse mais destaque. Em 2016 a inclusão de motores de busca foi completamente liberalizada.

Esta alteração reflecte a decrescente importância que o AdSense tem no contexto da Google. Esta unidade de negócio que já foi uma grande fonte de rendimento contribuiu menos de 20 por cento para os resultados da Google em 2015, segunda Bloomberg, percentagem que tem vindo a descer ao longo do tempo.

Apesar da multa anunciada hoje ser o encerramento de três grandes investigações que a União Europeia fez à Google, a União ainda está a investigar outras áreas de negócio e não está descartada a hipótese de serem impostas mais sanções no futuro.

A Google já respondeu através de um artigo publicado no blogue oficial da empresa pelo responsável de assuntos globais Kent Walker, em que é mencionado que a Google já fez todas as alterações aos produtos para ficar de acordo com a vontade da Comissão Europeia e que nos próximos meses irá adaptar os seus serviços para proporcionais mais visibilidade aos seus concorrentes na Europa.

PCGuia
Este site utiliza cookies. Ao continuar a utilizá-lo estará a aceitar a nossa política de privacidade e os nossos Termos de utilização. Mais informação acerca da forma como utilizamos cookies está disponível aqui.
×