MobilidadeReviews

Nokia 8 Sirocco

Desde que a Nokia voltou ao radar dos consumidores de todo o mundo, e particularmente dos nacionais, temos vindo a ver alguns bons lançamentos, sobretudo de terminais de gama média/alta, onde a marca consegue ter bons equipamentos. Um dos últimos de que gostámos foi do 7 Plus: por 500 euros ficamos com um smartphone muito competente e com boas características multimédia. Contudo, os terminais mais bem conseguidos da Nokia/HMD são aqueles que o número do nome é mais baixo, como o 6.1 de 300 euros – e até a versão “original” do 8 (2017) é um excelente exemplo de um smartphone que já tinha uma grande relação qualidade/preço.

A incursão da Nokia nos smartphones topo de gama era, assim, uma aposta que tínhamos muito curiosidade em conhecer, sobretudo depois do anúncio do todo-poderoso Nokia 8 Sirocco, apresentado pela primeira vez durante o Mobile World Congress do ano passado em Barcelona. Mas, depois de termos usado este equipamento durante alguns dias é fácil perceber as razões pelas quais não é boa compra.

A primeira é o preço: são quase 900 euros de smartphone para um equipamento que, quando foi apresentado era bom, mas que para agora não vai poder competir com outros terminais da mesma gama de preços: por exemplo, Huawei P20 Pro e Samsung S9 têm ecrã, câmaras e um desempenho melhor que o Sirocco da Nokia.

E já que falamos no ecrã, aqui fica outra coisa menos boa deste smartphone: apenas 5,5 polegadas, o que o torna no smartphone topo de gama com display mais pequeno do momento. Particularmente, não penso que ter um ecrã pequeno seja uma desvantagem, uma vez que até torna o Sirocco compacto, mas pelo preço pedido, os clientes querem sempre um ecrã maior: a culpa é do mercado que fez com que os topos de gama tivessem esta característica associada há uns anos.

Há ainda mais duas coisas que merecem a nossa crítica: não existe forma de expandir a memória, outra coisa incompreensível num topo de gama Android de 900 euros e as sombras que existem nos rebordos do ecrã curvo, que fazcom que estas zonas verticais do display fiquem com um tom mais escuro quando vemos sites ou usamos apps mais claras. O que também não nos convenceu foi o design, com arestas muito vincadas nas laterais, que tornam o uso prolongado muito desconfortável.

Em sentido contrário, está a câmara (com modo profissional e capaz de nos dar grandes fotos, mesmo em condições de luz mais adversas) e o facto de trazer Android One, a versão pura do sistema operativo da Google, o que, aliás, é um traço idêntico a todos os equipamentos da “nova” Nokia.

Ponto final

O Sirocco é uma versão premium do Nokia 8 onde o preço não está, nem de perto, nem de longe, em linha com as características deste smartphone. Os mais de 850 euros pedidos são demais para um equipamento com pouca autonomia e com um ecrã tão pequeno.

+ Design
+ Android One
– Ecrã curvo com sombras
– Arestas demasiado afiadas
– Preço

Medições: 1,54
Experiência de Utilização: 4,7
Preço / Qualidade: 0,5
Nota: 7

Distribuidor: Nokia
Site: nokia.com
Preço: €869,99

Benchmarks

Antutu3D Mark Ice Storm UnlimitedPCMark8 WorkPCMark8 Autonomia
208 00942 6107317553 minutos

Características Técnicas
Processador: Snapdragon 835 octa-core (4 x 2,5 GHz + 4 x 1,8 GHzKryo)
Memória: 6GB
Armazenamento: 128GB
Câmaras: 12 + 13 MP (traseiras) + 5 MP (frontal)
Ecrã: 5,5” P-OLED (1440 x 2560), 534ppi
Bateria: 3260mAh
Dimensões:140,9 x 73 x 7,5 mm
Peso: 177gr

PCGuia
Este site utiliza cookies. Ao continuar a utilizá-lo estará a aceitar a nossa política de privacidade e os nossos Termos de utilização. Mais informação acerca da forma como utilizamos cookies está disponível aqui.
×