Sony Xperia XZ2

A análise ao smartphone da Sony com praticamente as mesmas linhas do primeiro Xperia Z.

Já não me recordo de um smartphone da Sony que tivesse sido lançado em Portugal com uma distância tão curta desde a sua revelação além-fronteiras. E ainda bem, uma vez que o novo Xperia XZ2 representa, finalmente, uma mudança face ao que estávamos habituados a encontrar nos terminais de topo da Sony, um smartphone com praticamente as mesmas linhas desde o lançamento do primeiro Xperia Z de 2013.

É certo que ainda existem características estilísticas que permitem identificar este terminal como sendo um Xperia, mas desta vez encontramos um ecrã de formato 18:9 com 5,7 polegadas (acabaram-se as gigantescas molduras em torno do ecrã), bem como uma espécie de bolha no painel traseiro, onde está colocado o novo sensor de impressões digitais, bem ao centro.

Visualmente, pode parecer agradável a sua colocação, mas em termos ergonómicos, é um erro. Além disso, não sentimos qualquer melhoria em termos de funcionamento face aos anteriores sensores, colocados no botão de power, na lateral.

Igualmente estranho é o posicionamento do sensor de imagem traseiro que, mais uma vez, é um dos mais avançado do mercado, com 19 MP e dois exclusivos: o facto de gravar vídeo a 960 imagens por segundo em resolução FullHD e 4K com HDR. Só é pena que a Sony, embora em termos de hardware seja a referência no mercado, esteja tão atrás em termos de software face a marcas como a Samsung ou Huawei.

Igualmente exclusivo no XZ2 é o Dynamic Vibration System, um sistema que intensifica as frequências graves reproduzidas pelo dispositivo através de vibração, ao mesmo tempo que o som é reproduzido pelos altifalantes estéreo. Este sistema também funciona com os auscultadores, mas só fará efeito se tiver o XZ2 nas mãos.

Em termos de desempenho, nada a apontar. O processador Snapdragon 845 e os 4 GB de memória RAM permitiram obter alguns dos melhores resultados de sempre, a par do Xiaomi Mi Mix 2s, LG G7 e Asus ZenFone 5z, que partilham o mesmo elemento.

Uma das grandes melhorias foi a capacidade da bateria, que subiu dos anteriores 2700 mAh para 3180 mAh, o que lhe permitiu aumentar significativamente a autonomia face ao Xperia XZ1. Contudo, deve ter cuidado com o brilho do ecrã, caso contrário obterá uma autonomia inferior a seis horas, em vez das doze que conseguimos.

Ponto Final

Embora seja um dos smartphones mais rápidos e tenha um dos sensores de imagem mais avançados do mercado, o software continua a não conseguir explorar todas as suas capacidades. O mesmo se passa com a mudança de visual, que embora seja bem-vinda, originou demasiadas falhas em termos ergonómicos. Esperávamos mais.

+ Autonomia
+ Preço
+ Boa qualidade de imagem
– Resultados câmara lenta

Experiência de Utilização: 5,2
Medições: 1,6
Preço: 0,7
NOTA: 7,5

Distribuidor: Sony Mobile
Site: sonymobile.com/pt
Preço:€849,99

Benchmarks

Antutu 3D Mark Ice Storm Unlimited PCMark8Work PCMark8 Autonomia
248 794 64 033 9573 749 minutos

 

Características Técnicas
Processador: Qualcomm Snapdragon 845(4×2,7GHz+ 4x 1,7GHz)
Memória: 4GB
Armazenamento: 64GB(expansívelcomMicroSD)
Câmaras:19MP(traseiro) e5MP(frontal)
Ecrã: 5,7”IPS18:9(2160×1080)424ppi
Bateria:3180mAh
Dimensões: 153x72x11,1mm
Peso: 198gr

Categorias
MobilidadeReviews

Editor da revista PCGuia, com mais de 10 anos no mercado de publicações tecnológicas. Grande adepto de tudo o que seja tecnológico, ficção científica e quatro rodas.
Assinaturas

Newsletter PCGuia
Subscreva a newsletter da PCGuia e fique a par das últimas notícias, dicas e truques de hardware e software.
Subscrever
Newsletter PCGuia
Subscreva a newsletter da PCGuia e fique a par das últimas notícias, dicas e truques de hardware e software.
Subscrever
close-link