Crie uma panosfera no Photoshop

Componha uma paisagem, transforme-a num planeta, e descubra novos mundos de possibilidade no Photoshop.
Photoshop destaque

É muito bonito criar a sua própria cidade no Photoshop, mas, e criar um planeta inteiro? Na verdade, pode ir de um para o outro em relativamente pouco tempo se souber como fazê-lo.

Os planetas panorâmicos, ou panosferas, parecem inventivos e excitantes. São uma maneira simples e criativa de mostrar uma imagem panorâmica num espaço quadrado limitado, e muitas vezes parecem ser muito mais sofisticados do que o processo de edição de facto é. Normalmente, são criados com apenas um panorama, esticado de forma redonda de modo que os extremos da imagem se encontram e formam uma esfera. Mas, e se pudesse escolher os elementos dessa esfera?

O acto de compor edifícios e acrescentar peculiaridades à sua cidade pode ser uma actividade muito divertida e extremamente criativa de fazer no Photoshop. Pode escolher qualquer conjunto de edifícios e outros aspectos da paisagem, misturá-los, e criar o seu próprio planeta fantástico, desde que saiba como manter os extremos homogéneos e fluidos.

Vá ao ‘FileSilo’ e veja as fotografias gratuitas que proporcionamos para ver se há lá alguma coisa que funcione na sua imagem. Ou talvez haja algumas das suas próprias fotos que queira usar. Mergulhemos agora no mundo das panosferas e criemos a paisagem perfeita, para depois a transformarmos no nosso pequeno mundo.

1 Abra a sua imagem

Abra a imagem de começo, que será a directriz onde var criar o seu perfil aéreo. Precisamos de um céu sem nuvens para esta imagem para que as nuvens não apareçam distorcidas, e outra foto com espaço verde será uma ajuda visual quando colocarmos os ícones e os marcos paisagísticos.

2 Corte a cidade ao meio

O nosso primeiro marco será uma imagem de uma cidade. Coloque-a na sua imagem e ‘rasterize’ a camada. Depois seleccione metade dela e Ctrl/clique com o botão direito do rato. Escolha ‘Layer Via Cut’. Desloque o lado direito da imagem para o extremo esquerdo, e o esquerdo para a direita.

3 Mascare o céu

Agora que dividimos a cidade ao meio, use ‘Select’, ‘Colour Range’ para localizar o azul (use a ‘Magic Wand’ no Elements, ‘Contiguous’ não seleccionado), e use um Lasso para arrumar as coisas. Depois, clique no botão ‘Mask’.

4 Insira a Torre de Belém

A Torre de Belém é um marco tão notável, famoso por todo o mundo, que é um excelente acrescento à nossa imagem. Usar um edifício icónico pode ser uma ideia excelente, por isso vamos coloca-lo mesmo no centro, onde a acção vai acontecer. Recorte-a o melhor que conseguir e mascare o céu.

5 Acrescente um pouco de praia

Agora vamos acrescentar uma praia por baixo e mascarar o céu, como fizemos com as outras imagens. Não pretendemos um perfil aéreo realista, mas se quiser pode criar um.

6 Recorte com suavidade

Selecciona a área da praia a recortar e escolha a ferramenta “Feather” com um valor aproximadamente de 250 pontos. O corte fica assim suave e dá a sensação que se esbate noutras texturas.

7 Procure uma imagem de montanhas

Procure uma imagem de montanhas de que goste e recorte com a ferramenta “Quick Selection Tool”. Tente que tenha um tipo de iluminação idêntica à da torra de Belém e um fundo de relva. Corte ao meio, duplique, inverta e cole.

8 Aproximar os tons de cor

Agora escolha a ferramenta de tratamento de cor que achar mais interessante, depende sempre da foto de montanha escolhida. Neste exemplo o melhor é os ‘levels’.

9 Cole a torre à montanha

Cole a torre à montanha e com a ‘Eraser tool’, com um ‘Size’ de 50% e um “Hardness” de 62% Suavize as arestas, levemente, as áreas de contacto irão se fundir e dar a ideia de ser uma só.

10 Acrescente o Space Shuttle

Mais uma vez, use máscaras para fundir a sua última camada com a imagem. Acrescente outra imagem, o que mais gostar, aqui escolheu-se a Space Shuttle. Como sempre, recorte com as ferramentas indicadas a transporte para a sua obra de arte.

11 A lua, as nuvens e a nossa bandeira

O processo é sempre o mesmo, escolha elementos, recorte-os e aproxime a cor o melhor possível do ambiente geral. Divirta-se a fazer experiencias. Afinal você é o artista!

12 Tudo bem arrumadinho

Crie um grupo nos ‘Layers’ e arraste tudo o que já fez lá para dentro. Assim sendo poderá aplicar efeitos a todos os elementos ao mesmo tempo.

13 Ambiente

Agora com tudo arrumado podemos dar um tom de cor a gosto a todos os elementos ao mesmo tempo. Com o grupo seleccionado aplique um ‘Photo Filter’ e escolha a cor e a intensidade.
Vai ver que a luz fica mais homogénea.

14 Duplique, corte e redimensione

Com o botão direito do rato e duplique a pasta e o filtro de cor. Faça ‘Merge leyers’ e copie o que acabou de fazer para um novo documento.

15 Distorça

Agora é que vamos fazer magia: No documento novo e rode a imagem 180 graus através desta sequência ‘Edit’, ‘Transforme”. Atenção, o documento tem de ser quadrado com os lados exactamente iguais à largura da imagem final.

16 Retoque e finalização

Agora estique a imagem até ao fundo e aceda ao menu ‘Filter’, ‘Distort’, ‘Polar Coordinates’. Seleccione ‘Rectangular to Polar’ e prima ‘OK’. Isto juntará os contornos da sua panosfera baseada
num perfil aéreo. Volte a rodá-la para que a Torre de Belém fiquem em cima.

Resultado final

Photoshop destaque

 

Ajustamentos finais

1 Clone suavemente

Pode ter conseguido um contorno homogéneo na sua panosfera, mas nada é perfeito, pois não? Use uma clonagem suave para ocultar completamente a linha de junção do lado direito.

2 Vinheta nos contornos

Também pode clonar ao longo dos contornos esticados, mas em vez disso seleccione o contorno redondo do céu, Ctrl, clique com o botão direito do rato, ‘Layer Via Copy’ e esbata a 200 px para obter uma correcção ao estilo de uma vinheta natural.

3 Camadas de ajustamento

Melhore a cor com algumas simples camadas de ajustamento ‘Hue/Saturation’, ‘Vibrance’ e ‘Curves’. Destaque a cor na imagem e junte até um Photo Filter para o tom, se quiser.

4 Melhore a iluminação

Finalmente, junte-lhe um reflexo de lente se quiser (menu ‘Filter’, ‘Render’, ‘Lens Flare’), e para juntar um brilho subtil, pegue num pincel suave e branco e pinte num canto numa camada ‘Soft Light’.

O que pode correr mal

Esteja atento às máscaras


Quando se constroem composições, boa parte do processo constitui tanto em misturar imagens como em as colocar no seu lugar. Usámos máscaras extensivamente por todo este processo, mas às vezes as máscaras podem sobrepor-se, ou, nalguns casos, aparecer por baixo. Nos passos 5 e 6 misturámos duas imagens. Antes disso, mascarámos tudo o que não precisávamos, mas depois, quando tentámos clonar a areia de uma imagem para a outra, esta não aparecia. Isto porque escolhemos esta opção; quando tentamos clonar nalguns locais, estes podem muito bem estar mascarados.

Certifique-se que retira as máscaras pintando por cima delas a preto sempre que quiser usar a ferramenta Clone. Mas uma coisa que mascarar tem de bom é ser completamente alterável.

Dica
Mais tarde ou mais cedo vamos juntar os contornos da nossa composição uma à outra para criar uma panosfera notável. No entanto, os contornos devem corresponder de modo limpo e arrumado para a imagem funcionar. A clonagem pós-edição pode tratar deste problema específico, mas há também um atalho que pode seguir para isso. Quando estiver a juntá-las, divida a imagem ao meio e coloque as metades em ambos os lados da composição, como fizemos no tutorial. Quando a esfera final se junta no meio, vai juntar-se com um lado que lhe corresponde naturalmente.

Categorias
Photoshop
Assinaturas

ARTIGOS RELACIONADOS

Newsletter PCGuia
Subscreva a newsletter da PCGuia para ficar a par das últimas notícias, dicas e análises de hardware e software.
Subscrever
close-link