Kaspersky Lab: Modificações de Trojans móveis bancários atingem recorde histórico

Roubo de informações bancárias está em crescimento principalmente nas plataformas móveis.
Trojan Mobile

Este tipo de ataque atrai hackers de todo o mundo, devido ao seu lucro fácil. O malware é normalmente camuflado como uma aplicação legítima, para que os utilizadores o instalem.

Quando a aplicação bancária é iniciada, o Trojan sobrepõe o seu próprio interface ao da aplicação legítima e, assim, quando o utilizador insere as suas credenciais, o malware rouba-as.

O segundo trimestre de 2018 registou-se um enorme aumento deste tipo de Trojans, 61045, um “recorde histórico desde que há registos por parte da Kaspersky Lab”.

A maior causa para este aumento é o Trojan Hqwar, com quase metade das novas modificações detectadas relacionadas com este malware. O Trojan Agent ficou em segundo lugar, com cerca de 5000 pacotes.

No segundo trimestre de 2018, o top três de países com o maior número de utilizadores atacados por malware bancário móvel – em proporção ao número total de utilizadores vítimas de qualquer tipo de malware móvel – é composto pelos EUA (0,79%), Rússia (0,7%), e Polónia (0,7%).

A Rússia e os Estados Unidos trocaram de lugar em comparação com o primeiro trimestre deste ano, e a Polónia subiu desde o 9º para o 3º lugar, principalmente devido à distribuição activa das modificações Trojans.AndroidOS.Agent.cw e Trojan-Banker.AndroidOS.Marcher.w.

De acordo com os especialistas da Kaspersky Lab, “valores tão elevados podem fazer parte de uma tendência global de crescimento de malware móvel”, uma vez que o valor total de pacotes de instalação de malware móvel também aumentou em mais de 421 mil em comparação com o trimestre anterior.

“O cenário de ameaças do segundo trimestre deste ano é bastante preocupante a nível da segurança de utilizadores móveis. O crescimento geral de pacotes de instalação de malware móvel – em especial de aplicações bancárias – revela que os hackers estão constantemente a desenvolver novas modificações dos seus softwares maliciosos para os tornar mais sofisticados e difíceis de detectar por parte dos fornecedores de cibersegurança. O utilizador e a indústria devem manter-se atentos durante os próximos meses, à medida que a tendência continua a aumentar”, aconselhou Victor Chebyshev, especialista de segurança na Kaspersky Lab.

Via Kaspersky Lab.

Categorias
NotíciasSegurança

Terra. Europa. Portugal. Lisboa. Elite: Dangerous. Blade Runner. Star Trek. Star Wars. Kraftwerk. Project Pitchfork. Joe Hisaishi. Studio Ghibli.
Assinaturas

ARTIGOS RELACIONADOS

Newsletter PCGuia
Subscreva a newsletter da PCGuia para ficar a par das últimas notícias, dicas e análises de hardware e software.
Subscrever
close-link