IoT é a principal fonte de risco segundo 79% dos Operadores de Telecom

Internet of Things New

A WeDo Technologies reuniu, no seu WeDo User Group anual (WUG18), profissionais e estrategas da área de gestão de risco na indústria de telecomunicações.

Quando questionados sobre qual seria a disrupção tecnológica que pudesse ser a maior fonte de risco para a Indústria das Telecomunicações, 79% dos presentes apontou a Internet das Coisas (IoT), como disrupção de negócio com capacidade de disseminação de novos riscos. Seguiu-se a Inteligência Artificial (IA), com 13%.

Foi também perceptível a mudança de perspectivas entre 2017 e 2018. 43% apontaram a fraude de subscrição e identidade como a prioridade a ser endereçada pelos departamentos de risco dos operadores. No ano passado, apenas 2% escolheram essa opção, o que “comprova a maior preocupação nos casos de phishing que têm vindo a público nos últimos meses”.

Interrogados sobre qual a posição que iriam ocupar na cadeia de valor de IoT, 57% afirmaram que o seu papel iria além de simples fornecedores de conectividade, posicionando-se também na entrega de plataformas agregadoras de dados, bem como no desenvolvimento de aplicações finais de IoT.

Quando interrogados, 24% estão neste momento a analisar ou a utilizar já uma solução de Cloud, enquanto que 42% não sabem quando é que a sua empresa fará esta adopção,

Para Rui Paiva, CEO da WeDo Technologies, estes dados “permitem-nos retirar bastante valor, tornando este evento não só um Fórum para se debater temas da Indústria das Telecomunicações, como também um momento para reflectir, aprender e construir novos caminhos em conjunto com os nossos clientes e parceiros.” Ficou claro para Rui Paiva que “Existem ainda muitos desafios a transpor no que toca o risco associado às empresas de Telecom, mas as nossas soluções de Gestão de Risco estão no bom caminho para os mitigar”.

Via WeDo Technologies.