Acelere o seu PC - PCGuia

Acelere o seu PC

Consiga um PC mais rápido e pronto para o ajudar em vez de o atrasar.

O seu computador anda a arrastar-se durante o dia? Abrir um programa dura uma eternidade? Percorrer os menus do Windows e as pastas do disco rígido é uma dor de cabeça? Consiga um PC mais rápido e pronto para o ajudar em vez de o atrasar.

Quando estes sintomas começam a fazer-se notar no nosso computador, a primeira ideia que nos vem à cabeça é, naturalmente: «Estou a precisar de comprar um novo». Se o PC tiver menos de cinco anos, podemos substituir esta “resolução de ano novo” por outra: «Vou seguir as dicas da PCGuia para acelerar o meu PC».

É verdade que, hoje, em dia, já podemos encontrar computadores com Windows, principalmente portáteis, por menos de 350 euros, mas se puder gastar zero, acreditamos que este início de ano vai ser ainda mais agradável. Neste guia vamos ensinar-lhe como pode tornar o sistema mais rápido com três grandes sugestões: uma limpeza rápida no Windows, fazer com que o sistema operativo arranque de forma mais rápida e aplicar uma série de ajustes (tweaks). Tudo, claro, com aplicações gratuitas, para que se mantenha a nossa promessa: gastar zero.

1 – Limpeza Rápida no Windows

Antes de começarmos a dar atenção ao arranque e aos tweaks, é preciso começar a arrumar a casa; num sistema operativo, isto traduz-se para ‘limpeza’, uma coisa que podemos fazer um um conjunto de aplicações que vai libertar o Windows dos ficheiros de que não precisa. Mesmo que tenha feito uma limpeza destas há pouco tempo, é impressionante como o sistema operativo vai acumulando pequenos pedaços de “detritos” desnecessário ao funcionamento do mesmo.
O primeiro passo é garantir que temos espaço livre suficiente e disco, pelo menos 5 a 10 GB. No menu ‘Iniciar’ escreva limpeza de disco, seleccione a opção que aparece e clique em ‘Limpar ficheiros do sistema’. O Windows vai fazer uma análise e depois mostra-lhe aquilo que está a ocupar mais espaço no disco; seleccione aquilo que desejar, incluindo a ‘Limpeza do Windows Update, que deverá ser o maior (no nosso caso, 1,77 GB). Clique em ‘Ok’ para concluir a operação. Se quiser ir mais longe, pode sempre contar com uma aplicação que já é nossa conhecida de várias “batalhas”: o CCleaner, cujo download gratuito pode ser feito em piriform.com.

Apague aplicações que não usa
Se for um utilizador mais relaxado, vai acabar por deixar instalados programas que já não usa ou alguns que são redundantes, ou seja, que servem para a mesma finalidade: não se esqueça de que cada um deles consome recursos e ocupa espaço em disco que pode ser precioso. Para dar uma vista de olhos à lista de software que tem instalado no computador clique no ícone do menu ‘Iniciar’ > ‘Definições’ [ícone da engrenagem, à esquerda] > ‘Aplicações’ ou em ‘Programas’ no ‘Painel de Controlo’. Mas não basta desinstalar aplicações redundantes ou desnecessárias – é preciso limpar o sistema de ficheiros que não conseguem ser retirados do PC com uma simples desinstalação ou das entradas do registo. Se quiser remover em definitivo uma app, o melhor é usar um software que garanta a total desinstalação da mesma e de todos os ficheiros associados: a nossa escolha é o Revo Uninstaller na sua versão portátil (ou seja, que não necessita de ser instalada no Windows) que vai encontrar em revouninstaller.com, na área de Downloads e, depois, escolhendo ‘Free Portable’.
Tenha em atenção que este programa só vai servir para desinstalar aplicações de terceiros e não as da Loja da Microsoft, incluindo as que vêm com o Windows. Para isso, vai ter de usar outro programa, o IObit Uninstaller 6 Free (iobit.com) que, tal como o CCleaner (pode ver um guia no nosso site: bit.ly/2E2Kps1), permite desinstalar aplicações e também todos os ficheiro associados – ambos os programas são muito intuitivos, pelo que não vai ter qualquer dificuldade em usar ambos para limpar o computador.
Outra forma de garantir um PC mais rápido é substituir aplicações mais pesadas e mais consumidoras de recurso pelas suas equivalentes gratuitas e mais leves. Por exemplo, o Microsoft Office (Word, Excel e PowerPoint) pode ser demais para um computador antigo ou com especificações mais modestas, pelo que a nossa recomendação vai para uma de duas alternativas: WPS Office 2016 (kingsoftstore.com) ou LibreOffice (libreoffice.org). e não se esqueça de que pode usar sempre os Google Docs (docs.google.com), totalmente online, sem que seja preciso, sequer, instalar software no computador. Outra solução é usar aplicações portáteis, que podem ser guardadas numa pen, em vez daquelas que instala no sistema.

Dar os retoques finais na limpeza do Windows
Uma das ferramentas que usamos durante o tempo que estamos no computador é o browser. Se passarmos muito tempo sem fazer uma limpeza a ficheiros temporários ou à cache criada com as sucessivas visitas a sites, é natural que o mesmo comece a ficar mais lento. Está, portanto, na altura de lhe darmos uma nova vida. Para isso, comece por verificar todos os add-ons, plugins ou extensões que tiver instalados no seu navegador. No Chrome, escreva chrome://extensions na barra de endereços; se tiver o Firefox, deve fazer o mesmo, embora com um comando diferente: about:addons. Apagar extensões ou plugins que não use, ou que tenham sido instalados de forma indevida, vai tornar o seu browser mais rápido, uma vez que este deixa de gastar recursos a carregar estas pequenas apps. Pode ainda usar o CCleaner (‘Tools’ > Browser Plugins’) ou o IObit Uninstaler (‘Toolbars & Plugins) para fazer este trabalho de limpeza.
Outra área onde se deve focar é nos tipos de letra (Fontes) que tem instalados no Windows – ter muitos num computador com pouca memória vai afectar o desempenho. Pode desinstalar Fontes de que não precisa no próprio sistema ou, então, com um programa chamado AMP Font Viewer (ampsoft.net).

Limpar o Registo do Windows em Segurança
Aplicações como o CCleaner fazem uma análise ao Registo do Windows, identificam entradas supostamente redundantes e “oferecem-se” para as apagar. Com isto, dezenas ou centenas de ficheiros desnecessários podem ser apagados de uma vez, embora isto não traga uma melhoria relevante ao desempenho do PC. O mesmo não acontece se escolher desfragmentar os ficheiros do Registo, embora o impacto continue a ser residual. Pode experimentar fazer isto com o software Registry Defrag Free (registry-clean.net), mas apenas se tiver um disco rígido mecânico. Se o seu PC usar um SSD, desfragmentar o Registo é um processo redundante, já que o Windows faz um bom trabalho ao manter esta parte do sistema operacional.

2 – Tornar o início do Windows mais rápido

Computadores mais antigos costumam levar uma eternidade até entrarem no Windows. Isto acontece porque o sistema carrega uma série de aplicações e serviços que fazem a demora estender-se além do razoável. Optimizar o início do Windows não vai apenas fazer com que o computador inicie de forma mais rápida, mas também melhorar o desempenho geral do sistema. Algum do software que instala no computador vai configurar-se de forma automática para abrir ao mesmo tempo que entra no Windows (boot), o que vai atrasar tudo. Além disso, este software consome recursos adicionais, como memória, o que vai fazer com que o início do sistema se arraste. Contudo, há programas cujo início automático devemos autorizar, como o software de segurança ou alguns serviços de cloud, para que o computador fique defendido contra ameaças e para termos os nossos ficheiros sempre sincronizados.

Analisar o tempo que o sistema demora a iniciar
Os programas que se iniciam de forma automática não são os únicos que atrasam a entrada do PC no Windows. Com a aplicação gratuita Boot Racer podemos controlar que aplicações estão a provocar esta lentidão (ver guia). Outra das ajudas está no próprio sistema operativo: a funcionalidade ‘Arranque Rápido’, que pode ser encontrada nas ‘Opções de Energia’, dentro da secção ‘Hardware e Som’ do ‘Painel de Controlo’. Aqui, certifique-se de que tem a opção ‘Ativar arranque rápido (recomendado)’ ligada.

Um boot lento (minutos em vez de segundos, especialmente num HDD) também pode significar algo de errado com o disco onde está instalado o sistema operativo. Para fazer uma verificação, vamos usar a linha de comandos do Windows: carregue na combinação de teclas ‘Win+X’, escolha ‘Executar’ e escreva cmd, para abrir a linha de comandos. Aqui, digitechkdsk c: /f /r /xe carregue em ‘Enter’. O sistema tem de reiniciar para que o Disk Check seja feito e em alguns casos o tempo de espera pode ser alargado, dependendo do espaço de armazenamento e dos problemas que existirem. Se o Windows encontrar problemas e conseguir corrigi-los, vai perceber logo que o boot é feito de forma mais rápida. Esta éa solução para as versões 8 e 10 do Windows, mas se tiver a 7, também há uma ferramenta a usar, o Desfragmentador, desde que não esteja a usar um SSD. Para correr esta aplicação, clique em ‘Iniciar’ e escreva painel de controlo. Depois, entre em ‘Sistema e segurança’ e depois em ‘Ferramentas Administrativas’. Aqui clique em ‘Desfragmentar e Otimizar Unidades’.

Como funciona o Fast Boot?
Em PC com Windows 7, a boot é sempre feito do zero, ou seja, o sistema operativo é carregado como se fosse sempre a primeira vez que ligamos o computador, depois de o comprarmos. Contudo, com o aparecimento de novos componentes de hardware e com a chegada das versões 8.1 e 10 do Windows, há computadores que passaram a ser compatíveis com a funcionalidade Fast Boot, que assenta num conceito híbrido de shut down. Com isto, o PC nunca é desligado na totalidade, mas sim colocado num estado de hibernação onde é criado um ficheiro chamado hiberfil.sys que armazena informações da memória que permitem um arranque mais rápido do sistema à posteriori. Quando queremos voltar a usar o computador, este ficheiro é carregado e permite que as definições sejam activadas de forma muito mais rápida: resultado, o Windows inicia-se num abrir e fechar de olhos.

3 – Afinar o Windows com ajustes, truques e tweaks

A última fase deste processo, que tem como objectivo acelerar o PC, engloba uma série de ajustes e tweaks em algumas funcionalidades do Windows. Depois de apagar ficheiros e fazer com que o boot seja mais rápido, há ainda lugar paravárias melhorias. Em computadores com menos de 2 GB de RAM podemos recorrer a soluções que nos vão permitir libertar mais recursos ao optimizar os serviços que estão activos em segundo plano.

Fazer isto de forma manual pode ser complicado e demorado, pelo que o melhor é recorrer a uma aplicação que faça esta gestão por nós – a nossa escolha é a Easy Service Optimizer (download gratuito em bit.ly/2qww314). Este software torna muito simples a desactivação de serviços, para libertar os recursos de que precisamos, com recurso a quatro acções: Default (a configuração por defeito), Safe (a melhor escolha para o utilizador comum), Tweaked e Extreme. Quanto mais drástica for a opção escolhida (apresentámo-las por ordem crescente), mais serão as funcionalidades do sistema que vai sacrificar para potenciar a velocidade do Windows; ligação a impressoras e conectividade a dispositivos Bluetooth estão entre os recursos que vão ficar indisponíveis. Se vir que fica com um computador muito limitado, escolha as opções Default ou Safe no Easy Services Optimizer.
Outra solução é suspender recursos de forma temporária para que possa usar software mais exigente, como por exemplo, um jogo. Para fazer isto, experimente a aplicação JetBoost (bluesprig.com/jetboost.html). Depois de instalada e iniciada, clique no botão azul para desactivar os serviços do Windows e deixe a app aberta. Quando terminar de jogar (ou de usar algum tipo de software mais pesado para fazer um trabalho, como edição de vídeo ou imagem), basta clicar em ‘Restore’ para voltar a ter tudo como antes.
Os utilizadores mais avançados podem activar a opção ‘Customize’ para personalizar um padrão de funcionamento mais em linha com a utilização que quer dar ao computador.

Aumente a velocidade da pesquisa

Se não é muito dado a guardar ficheiros de forma organizada, cada categoria na sua pasta, o mais certo é o Windows demorar mais tempo a tentar encontrar aquilo de que anda à procura. O “truque” é deixar que o Windows indexe essas localizações para que as buscas futuras sejam muito mais rápidas. No Windows 8.1 ou 10, abra o Explorador de Ficheiros e clique em ‘Procurar’ > ‘Opções Avançadas’ e escolha ‘Alterar localizações indexadas’. Se tiver o Windows 7, escreva indexação no menu ‘Iniciar’ e depois escolha ‘Opções de Indexação’. Depois clique em ‘Modificar’ para adicionar as pastas que tenham os ficheiros de que precisa. O Windows vai demorar um pouco a indexar as novas localizações, acção esta que será mais rápida num SSD. Se dividiu o seu disco em partições, transfira o index de pesquisa para outro local que não a drive onde tenha o Windows instalado, para que seja mais fácil recuperar as definições quando tiver de fazer uma reinstalação do sistema operativo. Para isso, clique em ‘Alterar localizações indexadas’ > ‘Avançadas’ > ‘Seleccionar Nova’ em ‘Localização do índice’, para escolher outro disco ou partição.

Optimizar as definições da memória
Se tiver um SSD ou bastante memória no computador (pelo menos 4 GB) as sugestões seguintes não vão ter muito impacto no sistema. Contudo, se tiver 2 GB ou menos, e tiver uma versão de 32-bit do Windows num disco rígido, vamos ter melhorias de nota.
Para esta parte do guia vai precisar de uma pen USB com pelos menos 4 GB para tirar partido da funcionalidade Ready Boost. O sistema deve identificar de imediato esta drive quando a liga ao PC e sugerir o seu uso para este recurso. Se isto não acontecer, abra o Explorador de Ficheiros, clique com o botão direito na drive USB que ligou e, nas ‘Propriedades’, entre no separador ‘Ready Boost’.
O segundo tweak obriga a que o seu computador tenha dois discos rígidos e nenhum deles pode ser SSD e vai permitir que mova o ficheiro de paginação (que o Windows usa para a memória virtual) para outro disco, para dar um “empurrãozinho” ao desempenho do computador. No menu ‘Iniciar’ escreva desempenho e escolha ‘Ajustar o aspecto e o desempenho do Windows’. Aqui, entre em ‘Avançadas’, clique em ‘Alterar’ na parte ‘Memória virtual’, desactive a opção ‘Gerir automaticamente tamanho de ficheiro…’e seleccione o disco onde tem o Windows instalado, que deverá ser o C. Depois, escolha ‘Tamanho personalizado’ e defina um valor de 800 nas caixas ‘Inicial’ e ‘Máximo’, antes de clicar em ‘Definir’. Isto vai gerar um ficheiro de 800 MB que é essencial para que o Windows inicie.
De seguida, seleccione o segundo disco (ou, se tiver feito partições, escolha a que for menos usada) e active ‘Tamanho gerido pelo sistema’ > ‘Definir’ > ‘Ok’ (três vezes) e reinicie o computador. Depois, volte a esta janela e confira se está tudo correcto: 800 MB na drive C: e ‘Tamanho gerido pelo sistema’ no seu segundo disco. Se fizer tudo como explicamos, deverá notar de imediato melhorias na rapidez e desempenho do siste do seu PC.

Domestique software selvagem

Se nota que o computador anda aos soluços, bloqueia e de seguida volta a funcionar bem, o mais natural é ter algum software que está a exigir demasiados recursos do sistema. Este é um problema que costuma afectar PC mais lentos e antigos, mas há uma solução: a app Process Lasso, que pode descarregar gratuitamente em bitsum.com. O que este programa faz é, ao correr em segundo plano, identificar o software “selvagem” que insiste em consumir recursos desmesurados do Windows. Sempre que o Process Lasso notar que algonão está bem, reduz de imediato o nível de prioridade do processo que está a abusar do sistema, o que faz com que o PC volte ao normal. Tudo aqui acontece de forma automática, logo não tem de se preocupar em configurar a Process Lasso.

Categorias
DicasGuia completo

Jornalista de tecnologias desde 2005, tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil. Gosta de carros rápidos e de hotéis caros. Não tem um helicóptero porque decidiu gastar o prémio do último Euromilhões no desenvolvimento de um smartphone de marca própria.
Assinaturas

ARTIGOS RELACIONADOS