Anunciado mais um avanço na tecnologia de baterias recarregáveis

Cientistas australianos demonstraram esta a semana a primeira "bateria de protões" que pode revolucionar a forma como se constroem dispositivos móveis, carros eléctricos e mesmo as redes de distribuição de energia.
Bateria de protões
Protótipo da nova bateria de protões desenvolvido na Austrália

Uma equipa da universidade RMIT de Melbourne, Austrália, demonstraram esta semana pela primeira vez uma “bateria de protões” recarregável funcional. Segundo a equipa responsável por este avanço, este novo tipo de baterias tem o potencial de armazenar mais energia que as actuais baterias que utilizam tecnologia de iões de lítio.

As utilizações potenciais desta tecnologia incluem a armazenagem doméstica de energia a partir de painéis fotovoltaicos, como acontece hoje em dia com a tecnologia Power Wall comercializada pela Tesla, que utiliza baterias de iões de lítio. Com algumas alterações e numa escala maior, esta nova tecnologia pode também ser utilizada para armazenar energia em redes de escala média e também pode ser utilizada para alimentar veículos eléctricos.

O protótipo demonstrado esta semana utiliza um eléctrodo de carbono para armazenar hidrogénio ligado a uma pilha de combustível reversível para produzir energia. É o eléctrodo de carbono mais os protões que estão na água que podem transformar esta tecnologia numa opção melhor que a que existe hoje a nível ambiental, energético e económico.

Segundo o chefe da equipa responsável pela descoberta, John Andrews:

Este recente avanço é um passo crucial em direcção à criação de baterias de protões baratas e sustentáveis, que nos podem ajudar a suprir as necessidades de energia futuras sem medo de danificar ainda mais o ambiente. À medida que o mundo adopta métodos de geração de energia através de fontes renováveis, que são inerentemente instáveis, as necessidades de armazenagem de energia vão crescer exponencialmente e as baterias de protões são uma tecnologia pode contribuir para ajudar a responder às crescentes necessidades de armazenagem de energia de uma forma mais barata do que através das tecnologias existentes hoje em dia.

Durante o carregamento, o carbono do eléctrodo liga-se com os protões gerados através da divisão das moléculas de água com a ajuda dos electrões provenientes da fonte de alimentação que está a carregar a bateria. De seguida os protões são libertados outra vez e passam através da pilha combustível reversível para formar água ao serem misturados com oxigénio do ar para gerar energia. Ao contrário dos combustíveis fosseis, o carbono não é queimado nem é responsável por qualquer tipo de emissões durante o processo.

Se quiser saber mais sobre esta tecnologia clique aqui (página em inglês).

Categorias
CiênciaNotícias

Sou director da PCGuia há alguns anos e gosto de tecnologia em todas as suas formas. Estou neste mundo muito por culpa da minha curiosidade quase insaciável e por ser um fã de ficção científica.
Assinaturas

ARTIGOS RELACIONADOS

Newsletter PCGuia
Subscreva a newsletter da PCGuia para ficar a par das últimas notícias, dicas e análises de hardware e software.
Subscrever
close-link