Review – Philips 276E7QDSW

A Philips, uma das nossas marcas preferidas de monitores, mantém (e mal) a tradição de atribuir nomes sem qualquer nexo aos seus modelos, como já deverá ter lido pela designação deste modelo no título deste artigo. Apesar do nome absurdo, o mesmo não se pode dizer do monitor, que goza de uma estrutura elegante em branco com uma original base metálica em forma de ‘U’ invertido.

A moldura fina aloja um ecrã de 27 polegadas com resolução Full HD (1920 x 1080), que se destaca pelo recurso a um painel do tipo PLS, a solução da Samsung (produtor de painéis PLS) equiparável aos excelentes painéis do tipo IPS, com a vantagem de suportar maior brilho e ter um custo de produção ligeiramente inferior.

De resto poderá contar com as conhecidas vantagens destes painéis, como os elevados ângulos de visualização sem perda de qualidade de imagem, cores realistas, vivas e nítidas e uma tecnologia de gestão de brilho e contraste inteligente dedicada a produtores de conteúdos, uma vez que não recorre às conhecidas mudanças de brilho e constaste exagerado como acontece nos monitores de gaming.

O menu, apesar de ser o mesmo a que estamos habituados a usar nos monitores Philips, recebeu um novo botão, em formato de joystick, que torna a sua utilização mais simples e intuitiva. Em termos de ligações suporta a analógica VGA Sub-D, ideal para computadores mais antigos, bem como as recentes digitais DVI-D e HDMI, tendo esta última suporte para dispositivos MHL, permitindo assim espelhar no monitor o ecrã dos seus dispositivos móveis (compatíveis) usando um cabo específico (não incluído) HDMI para Micro-USB.