Review – QNAP TVS-671

Têm-nos passado muitos sistemas NAS pelas mãos, com mais ou menos funcionalidades e capacidades, mas nunca um como este QNAP TVS-671. Neste equipamento topo de gama vemos, definitivamente, como...
Review - QNAP TVS-671

Têm-nos passado muitos sistemas NAS pelas mãos, com mais ou menos funcionalidades e capacidades, mas nunca um como este QNAP TVS-671. Neste equipamento topo de gama vemos, definitivamente, como é ténue a fronteira entre um disco de rede e um computador “a sério”. Senão vejamos: para fazer funcionar este NAS, a QNAP usou um processador Intel Core i5 a 3 GHz acompanhado de 8 GB de memória RAM, a que podemos juntar mais 512 MB de memória flash para guardar o firmware. No que respeita ao armazenamento, o TVS-671 pode levar seis discos rígidos de 3,5 ou 2,5 polegadas, incluindo um SSD, até um máximo de 6 TB cada.

Ainda em relação ao sistema de armazenamento, este NAS suporta os tipos de RAID normais: Single Disk, JBOD, RAID 0, 1, 5, 6, 10, 5. Já no que respeita ao software o TVS-671 suporta a partilha de pastas em Windows, Mac e Linux, FTP, Web, e-mail, impressão. Uma das funcionalidades que este NAS suporta, precisamente por ter hardware bastante poderoso, é a que permite fazer a transcodificação de vídeo em tempo real acelerada por hardware de (e para) 240p, 360p, 480p, 720p e 1080p em vários formatos.

Isto permite, por exemplo, a visualização de vídeos em formatos incompatíveis com alguns dispositivos sem ter de os converter. Pode converter em tempo real um vídeo MKV num MP4 para poder usá-lo num iPad. Este QNAP também permite criar uma cloud pessoal, com um funcionamento semelhante ao Onedrive ou Dropbox, que fica acessível a partir de qualquer parte do mundo, desde que tenha uma ligação à Internet.

O QNAP TVS-671 oferece ainda a possibilidade de se criarem máquinas virtuais que podem funcionar com Windows, Linus ou Android. Por fora, o TVS-671 é um pequeno “caixote”, com as seis entradas para os discos, protegidas por chave, na parte da frente. À esquerda dos discos está o botão para ligar e desligar e uma entrada USB 3.0 para a ligação de um sistema de cópias de segurança. Acima dos discos está um ecrã LCD com duas linhas que serve para dar ao utilizador informações sobre o estado do sistema com um único relance. E à direita do ecrã estão dois botões de controlo para alterar a informação que aparece no ecrã.

Na parte de trás estão quatro entradas de rede com fios RJ-45 gigabit que podem estar todas ligadas ao mesmo tempo para levar o desempenho a um valor teórico próximo do de um SSD. Junto às entradas de rede estão quatro entradas USB (duas USB 2.0 e duas USB 3.0) e ainda uma entrada HDMI para ligar o NAS a um ecrã, se for necessário. A instalação dos discos no sistema requer a utilização de uma chave de parafusos e o mecanismo é um pouco difícil de operar. A configuração do software interno do TVS-671 é tão simples como nos modelos com menos funcionalidades: assim que o liga será brindado com um assistente que lhe vai dizendo o que tem de fazer para colocar o NAS a funcionar como deve ser.

O software é simples e está em português; no entanto, algumas funcionalidades como a de gestão dos discos podiam estar um pouco mais visível. No que respeita ao desempenho, este NAS portou-se como seria de esperar numa máquina deste calibre. Conseguimos esgotar completamente a capacidade de transmissão da rede Gigabit, ou seja, chegámos aos 100 MB/s por segundo.

Categorias
ArmazenamentoReviews

Sou director da PCGuia há alguns anos e gosto de tecnologia em todas as suas formas. Estou neste mundo muito por culpa da minha curiosidade quase insaciável e por ser um fã de ficção científica.
Assinaturas

ARTIGOS RELACIONADOS

Newsletter PCGuia
Subscreva a newsletter da PCGuia para ficar a par das últimas notícias, dicas e análises de hardware e software.
Subscrever
close-link