Descomplicómetro – Data centers

Numa altura em que é gerado cerca de um zettabyte (mil milhões de teras) de dados por ano, explicamos como funcionam os verdadeiros “armazéns” de informação....

Numa altura em que é gerado cerca de um zettabyte (mil milhões de teras) de dados por ano, explicamos como funcionam os verdadeiros “armazéns” de informação.

A elevada quantidade de dados gerada anualmente, especialmente nestes últimos dois anos com o boom da cloud, tem levado a que cada vez mais empresas invistam a sério nos seus data centers (centros de dados). Basicamente, esta é a designação dada a uma sala onde são armazenados servidores de acesso e de dados, tanto exclusivos da sua empresa, como partilhados. Se no passado, as salas de servidores eram apenas destinadas a guardar equipamentos e gerir o acesso das máquinas (endpoints) da empresa ao servidor (e dados) centrais, actualmente a situação é cada vez mais complexa.

Soluções optimizadas
Antigamente era usado um simples computador com diversos discos rígidos em RAID que permitiram a redundância necessária para armazenar os dados da sua empresa; porém, hoje, os servidores agrupam-se num Data Center, onde são utilizados armários (ou racks) padronizados, que permitem a instalação de diversos servidores. Estes, por sua vez são instalados em caixas horizontais que podem ter diversas espessuras, dependendo dos componentes instalados dentro dos mesmos.

A solução permite que cada rack possa usar um só monitor, teclado e rato, bem como uma UPS para garantir uma estabilização na alimentação das diversas máquinas; assim, é garantida ainda a devida redundância para que os mesmos possam continuar a trabalhar, até quando a energia falha.

Dimensão global
Se a utilização de um rack implica alguns cuidados em termos do local onde está instalado, a utilização de vários racks, como num Data Center, implica cuidados redobrados. Além do acesso imediato (tanto à frente como atrás) aos equipamentos e às suas ligações, é fundamental garantir que a energia é suficiente para todas as máquinas, sendo esta estabilizada para evitar avarias nos equipamentos.

A questão térmica é igualmente importantíssima, razão pelo que é habitual as salas dos Data Centers serem autênticas câmaras frigoríficas. Em Portugal encontra-se o maior da Europa: o da Portugal Telecom, na Covilhã. Este centro, que tem capacidade para instalar de mais de 50 mil servidores, conta com uma área total de 45 mil metros quadrados, o que corresponde a dez Meo Arena ou duzentos campos de ténis.

Categorias
Descomplicómetro

Editor da revista PCGuia, com mais de 10 anos no mercado de publicações tecnológicas. Grande adepto de tudo o que seja tecnológico, ficção científica e quatro rodas.

Sem comentários

Deixe um comentário

*

*

Assinaturas

ARTIGOS RELACIONADOS

Insira o seu nome e endereço de e-mail para receber as newsletters da PCGuia