Apple reavalia ecrãs OLED da BOE para futuro iPhone 14

Depois de uma alteração no circuito electrónico dos ecrãs OLED sem aviso, a Apple viu.-se obrigada a reavaliar a encomenda dos novos ecrãs OLED para o futuro iPhone 14.

A chinesa BOE, um dos maiores fabricantes mundiais de ecrãs, tem vindo a ser o fornecedor dos ecrãs OLED de 6.1 polegadas do iPhone 13, tendo a Apple assinado um contrato com a BOE para a continuidade desse fornecimento para os futuros iPhone 14.

Com um valor de 50 milhões de Yuan (equivalente a 7 milhões de euros), é natural que a Apple se tenha sentido na obrigação de pedir a paragem do fornecimento dos ecrãs, quando a BOE optou por alterar o design do circuito electrónico dos painéis OLED sem avisar o seu cliente, em Feveiro passado.

Essa mudança de design permitiu à BOE melhorar os “yelds” de produção, ou seja, melhoraram o processo de fabrico para tornarem a produção mais rentável, mas o facto de não terem informado a Apple levou a que esta tivesse que instaurar um processo para averiguar se existem alterações na qualidade de imagem dos novos ecrãs, comparativamente aos anteriores.

Aparentemente, segundo o jornal Sul Coreano The Elec, a Apple já autorizou a retoma do fornecimento dos paineis OLED para o iPhone 13, estando ainda pendente a encomenda para os ecrãs OLED para os futuros iPhone 14.

Caso afirmativo, a BOE deverá iniciar a produção em massa dos novos ecrãs durante os meses de Julho e Agosto, para terem unidades suficientes para o lançamento da nova geração de smartphones da Apple, que deverá ocorrer no final de Outubro. Os restantes ecrãs OLED, de maiores dimensões, deverão continuar a ser produzidos pela Samsung Display e LG Display.