Netflix está a testar sistema para limitar a partilha de passwords

O Netflix tem mais de 200 milhões de subscritores em todo o mundo, e agora procura maneiras de acabar com a partilha de passwords. Tanto por razões comerciais, como de segurança.
Netflix
Gammawire

Foi descoberta uma nova funcionalidade no Netflix, que impede pessoas que não estejam autorizadas, usarem uma conta no serviço de streaming de vídeo. Segundo declarações de um responsável do Netflix ao site The Verge, “Trata-se de um teste pensado para assegurar que apenas pessoas com contas Netflix podem aceder ao serviço”.

Se o serviço detectar que alguém está a tentar usar uma conta Netflix sem que seja o seu titular, ser-lhe-á pedido para verificar a autenticidade do direito a aceder ao serviço através de um código enviado através de uma mensagem de correio electrónico ou de um SMS.

Se a pessoa não conseguir autenticar a titularidade da conta, dentro de um espaço de tempo, será impedida de ver qualquer conteúdo do serviço. E ser-lhe-á pedido para criar uma conta para si. Embora este novo sistema não impeça de todo a partilha de dados de acesso ao Netflix (porque, hipoteticamente, os dados de autenticação podem ser enviados pelo titular da conta para a pessoa que está a tentar aceder), a ideia é tornar a partilha de passwords mais incomodativa.

Este teste não está a ser realizado e nenhum mercado específico e também não foi especificado um prazo para acabar. Uma outra justificação dada pelo Netflix para testar esta funcionalidade, tem a ver com a protecção das contas. Se alguém tentar usar uma conta de que não é titular, pode ter obtido as credenciais de forma fraudulenta.

Desde sempre, uma das maiores dúvidas que rodeiam os utilizadores do Netflix neste campo, é o que pode ser considerado uma conta residencial. No ponto 4.2 dos termos de utilização do Netflix, está escrito que: “O serviço Netflix e qualquer conteúdo visualizado por meio do serviço destinam-se apenas a uso pessoal e não comercial e não podem ser partilhados com pessoas fora da sua residência.” Isto pode querer dizer uma residência num local específico, o que também não é especificado nos termos de utilização. Por exemplo, quem tiver filhos a estudar fora de casa pode partilhar conta com eles, como acontecia antes de sair de casa. Segundo declarações de Reed Hastings, um dos CEO da Netflix, feitas em 2016:

“A partilha de passwords é algo com que temos de viver. Muita dessa partilha é legítima, como quando partilha a conta com um cônjuge, ou com os filhos. Por isso, não há nenhuma fronteira definida e estamos bem com isso.”

No entanto, agora o Netflix está a tentar encontrar uma forma de combater alguns aspectos da partilha de passwords e responder a potenciais problemas de segurança.

A partilha de passwords tem sido, desde há muito tempo, uma preocupação para analistas e investidores do mercado do streaming. Segundo analistas da Park Associates, a partilha de dados de acesso aos serviços de streaming custa às empresas neste mercado, cerca de 9 mil milhões de dólares todos os anos.

Exit mobile version