Especial

A importância e os benefícios na saúde mental que os videojogos podem fazer

Pixabay

Os jogos electrónicos e os videojogos estão em alta em Portugal e no mundo. Actualmente, cerca de 73% da população portuguesa tem o hábito de navegar à web e também de buscar diferentes tipos de jogos. Porém, se engana quem pensa que o motivo seja apenas o entretenimento. Investigações recentes comprovaram alguns benefícios, tanto no cérebro como na saúde física, que esses jogos são responsáveis. Os efeitos vão na melhora do nível de atenção, no processamento cerebral e também nas funções cognitivas.

A revista científica Frontiers in Human Neuroscience lançou resultados e análises de investigações com foco nos fãs de jogos electrónicos. Foram feitos estudos analisando dois aspectos diferentes. A primeira nas mudanças estruturais no cérebro de quem joga e a segunda na funcionalidade e no comportamento durante o jogo. O resultado foi analisado, em diferentes aspectos, pelo investigador Marc Palaus.

Segundo o especialista, a região do cérebro responsável pelo foco e atenção é mais eficiente nos gamers, em comparação com quem não tem contacto com esse tipo de jogo. Além disso, também existe uma melhora no comportamento visual, onde quem está acostumado com jogos modernos é mais atento na observação do ambiente. Ou seja, são pessoas mais atentas com o que acontece ao redor de um lugar, seja uma sala de aula ou então um local de trabalho.

“Jogos electrónicos são sempre alvos de discussão, seja de forma positiva ou negativa. Porém, essa discussão costuma acontecer sem qualquer análise de dados científicos. Pelos fato dos jogos electrónicos estarem em alta, todo mundo sempre tem uma forte opinião quanto a isso”, afirmou Palaus, quando questionado sobre a eterna discussão dos benefícios dos games como entretenimento.

Uma investigação divulgada em 2015, pela revista científica Policy Insights from the Behavioral and Brain Sciences, afirmou que jogos de acção e aventura costumam ter aspectos mais eficientes do que outros. O estudo afirmava que esse tipo de jogo actua no processamento cerebral, incluindo visão de baixo nível até habilidades cognitivas de alto nível. Os jogos de quebra-cabeça, populares em telemóveis e também smartphones, estariam abaixo dos jogos comerciais disponíveis em videojogos de última geração.

Efeitos psiquiátricos e ajuda no Alzheimer

Os benefícios dos jogos não ficam apenas por conta de actividades do dia-a-dia, já que os efeitos mentais também são evidentes. O professor e investigador Chandramallika Basak, do Centro de Longevidade Vital e Escola de Ciências do Cérebro e Comportamento, da Universidade do Texas, afirmou que os jogos electrónicos podem ajudar as pessoas mais idosas no combate a doenças mentais.

“Se o objectivo é melhorar o controlo cognitivo, o raciocínio e as habilidades cognitivas de alta ordem de pessoas idosas, e assim evitar a demência e a doença de Alzheimer, então talvez os jogos sejam o caminho a seguir”, defendeu o professor Basak, nos Estados Unidos.

Esse efeito seria provocado pelo fato do nosso cérebro sempre nos presentear quando conseguimos algum sucesso durante um jogo, seja electrónico ou não. A Betway Casino produziu um infográfico que explica de forma simples como funciona esse efeito, e quais são as substâncias responsáveis por isso. Tal acção é conhecida como o “efeito vencedor”.

O neurocientista Ian H. Robertson produziu um livro que explica também a visão biológica, detalhando melhor cada acção no corpo. The Winner Effect foi escrito justamente para popularizar o tema e explicar melhor os benefícios que isso pode trazer para o dia-a-dia, ou então para quem sofre com problemas mentais.

O cenário gamer em Portugal

Esse lado benéfico dos jogos electrónicos ainda não tem casa em Portugal. Porém, com o crescimento do mercado e o acontecimento de feiras e eventos internacionais, como a BLAST Pro Series: Lisbon 2018, fazem com que a busca por tal tema aumente, seja na web ou então no mercado de vendas das consolas.

O cenário de eSports já conseguiu movimentar milhões um pouco por todo mundo. Em 2017, foi avaliado em perto de 600 milhões de euros, com mais de 86 milhões a serem distribuídos pelos jogadores profissionais. É um mercado forte que, em Portugal, ainda está a dar os primeiros passos. Só na Black Friday, por exemplo, a Europa vendeu mais 750 mil consolas, incluindo as vendas em Portugal.

Em Novembro, aconteceu a Lisbon Games Week, uma das iniciativas para que Portugal possa receber maiores eventos de videojogos. As empresas do ramo electrónico FIL e E2Tech foram responsáveis pela produção da feira voltada para os gamers. Segundo os números oficiais dos organizadores, foram mais de 60 mil pessoas a preencherem o Centro de Exposições e Congressos de Lisboa. Os números demonstram um interesse do público português no cenário dos videojogos.

Na espera de que o mercado ganhe maior volume, e também apoio financeiro, os gamers continuam a buscar espaço no país, seja apenas no entretenimento ou com alguns dos benefícios citados anteriormente. A moderação sempre é algo a ter em conta, quando o assunto é jogo electrónico. Por isso, a saúde sempre estará como ponto importante, assim como a informação dos benefícios que a isso possa ter.

PCGuia
Este site utiliza cookies. Ao continuar a utilizá-lo estará a aceitar a nossa política de privacidade e os nossos Termos de utilização. Mais informação acerca da forma como utilizamos cookies está disponível aqui.
×