Descomplicómetro – Estabilização de imagem

Fundamental para garantir imagens nítidas em qualquer ocasião, a estabilização de imagem é uma função essencial das câmaras actuais.

É graças ao sistema de estabilização de imagem que, em fotografia, se tornou possível dispensar a utilização de um tripé ou monopé, quando nos encontramos numa situação onde as condições luminosas não são as ideais, mas precisamos de conseguir captar uma imagem perfeitamente nítida.

No vídeo, a situação é ainda mais flagrante. Se, no caso da fotografia, podemos tirar várias “chapas” e aproveitar a que estiver mais nítida, no vídeo a trepidação pode arruinar o nosso trabalho. Para evitar esta situação, pode haver a aplicação da tecnologia de estabilização de imagem em dois momentos: à priori, nos equipamentos de captura de imagem ou, depois, na edição do vídeo.

Estabilização na máquina

A estabilização de imagem no corpo da máquina costuma estar relacionado com a implementação de uma espécie de mecanismo de giroscópio integrado no próprio sensor de imagem, isolando assim o sensor das movimentações do corpo da própria máquina.

Em alguns sistemas mais compactos, este sistema de estabilização de imagem isola não só o sensor, como o próprio sistema óptico, como acontece com as câmaras de vídeo compactas. Em sistemas profissionais, como no cinema, este sistema funciona de forma externa, ou seja, todo o corpo da máquina é instalado num dispositivo que isola a movimentação da pessoa para que a mesma não influencie a movimentação da câmara.

Estabilização na objectiva

A estabilização de imagem integrada nas próprias objectivas é uma das soluções mais utilizadas nos equipamentos fotográficos de gama média e alta. Aqui, é aplicado um elemento “flutuante”, dentro dos diversos elementos ópticos de cada objectiva, que permite compensar as movimentações. 16

Este elemento usa um conjunto de ímanes que ajustam o elemento óptico de acordo com os dados captados pelos sensores de vibração e com os eixos vertical e horizontal. Alguns equipamentos de topo mais recentes utilizam um sistema de estabilização de cinco eixos e integram o funcionamento do sistema de estabilização na objectiva como do sensor.

Estabilização por software

Em alguns equipamentos mais básicos, ou compactos, como os sensores dos smartphones, é usada uma estabilização de imagem digital, ou seja, por software. Para tal, o software analisa cada fotograma e utiliza toda a superfície do sensor (e não apenas a área útil), para ir buscar detalhes necessários para garantir um efeito de movimento estável e fluído entre os fotogramas. Esta solução é particularmente eficaz quando os sensores só precisam de usar a área central do mesmo quando precisam de captar vídeo com uma determinada resolução, uma vez que um sensor de 12MP (por exemplo) só precisa de usar uma parte do mesmo para captar vídeo em 4K (equivalente a 8MP).

Categorias
DescomplicómetroDicas

Editor da revista PCGuia, com mais de 10 anos no mercado de publicações tecnológicas. Grande adepto de tudo o que seja tecnológico, ficção científica e quatro rodas.
Assinaturas

ARTIGOS RELACIONADOS

Newsletter PCGuia
Subscreva a newsletter da PCGuia para ficar a par das últimas notícias, dicas e análises de hardware e software.
Subscrever
close-link