Review – World of Warships

A premissa de WoW é simples: somos um comandante de um navio da II Guerra Mundial que parte em busca da glória marítima.
World of Warships
World of Warships

A editora que nos coloca no cockpit de um avião ou de um tanque, também nos leva às pontes de comando de navios que fizeram tremer os mares durante a Segunda Guerra Mundial. Embarque connosco nesta batalha em World of Warships (WoW!

A premissa de WoW é simples: somos um comandante de um navio da II Guerra Mundial que parte em busca da glória marítima. Dominar o oceano e afundar vasos de guerra inimigos é a nossa principal missão. Para isso, e logo que entramos no jogo, somos convidados a escolher uma super-potência para servir.

Temos, assim, seis navios à escolha de seis países envolvidos na II Guerra Mundial: Japão (Hashidate), EUA (Erie), URSS (Orlan), Alemanha NAZI (Hermelin), Reino Unido (Black Sawn) e França (Bougainville), todos reais, à semelhança do que acontece em Word of Tanks e World of Airplanes.

À media que vamos jogando e vencendo batalhas, subimos de nível e vamos poder actualizar o nosso navio para ficarmos com uma embarcação mais forte, com mais poder de fogo e com defesas reforçadas.

O progresso permite ainda desbloquear condecorações, que nos são oferecidas depois de conseguirmos diferentes feitos com os nossos navios: por exemplo, causar danos a metade da frota inimiga, destruir cinco ou mais navios do adversário ou concluir todas as missões secundárias de uma batalha. Há 67 medalhas destas para coleccionar – vai poder vê-las a todas no menu ‘My Achievements’.

Como é tradição nos jogos da Wargaming, aqui também se podem comprar pacotes de moedas (aqui chamados doubloons) que vão acelerar os melhoramentos que podemos fazer aos navios; na loja da editora também se podem comprar packs de frotas já muito avançados, o que nos permite dar um salto enorme dentro do jogo.

Contudo, prepara-se para abrir os cordões à bolsa, pois um navio japonês da classe KII no pack Admiral Edition (que também traz mais ofertas) custa 99 euros. Já o mínimo de doubloons que podemos comprar são 500 moedas, o que nos vai custar 2,25 euros.

O jogo pode ser gratuito, mas a verdade é que, para termos algum sucesso e enfrentarmos inimigos mais poderosos, será, num determinado momento, necessário adquirir pacotes de melhoramentos para sermos um verdadeiro terror dos mares. Este dinheiro usado no jogo tanto pode servir para personalizar os navios com cores e padrões (as chamadas mudanças cosméticas), como para os tornar mais mortíferos.

A nível de jogabilidade, este WoW recorre às combinações de teclas que seriam normais de encontrar num jogo em que se usa o teclado: WASD para controlar o navio (tecla ‘R’ para fazer reparar o mesmo) e ao rato para apontar as armas e disparar.

Para jogadores que gostam de mais acção, WoW é, como seria de esperar, algo lento, mais que WoT e WoA. Mas isto é natural: manobrar um navio é mais complicado que um tanque ou um avião, pelo que tudo isto noa parece credível num cenário de guerra – aliás, as armas demoram tempo a recarregar, tal como na vida real, por isso não espere subir a bordo de um navio e estar constantemente a disparar.

Este MMO é, para quem tem paciência, um verdadeiro tesouro. As batalhas obrigam a ter bastante estratégia, mas isto torna-se complicado quando temos de articular planos de ataque ou defesa com outros jogadores aliados que, às vezes, parecem que estão a jogar sozinhos. O melhor é arranjar um grupo de amigos que também esteja na disposição de passar uma horas ao leme de alguns dos mais poderosos navios da história e juntos conquistarem os mares.

Outro dos chamarizes que vai agradar aos jogadores mais minuciosos é a forma como são feitos os upgrades aos navios: é preciso pesquisar uma inovação e só depois é que podemos aplicar, coisa que pode ser feita no menu ‘Modules’. Já no ‘Tech Tree’ vemos todos os dez navios que vamos poder usar de uma nação, todos dependentes de subidas de nível e de pesquisa de componentes, claro.

Mais uma coisa boa: não é preciso ficar “agarrado” apenas a um navio, já que o jogo permite que mudemos para outra superpotência sempre que queiramos, desde que seja antes de entrarmos numa batalha. Isto acaba por nos dar mais liberdade para experimentar diferentes navios e mais abordagens aos mesmos cenários de guerra.

World of Warships pode ser jogado em macOS X ou Windows e o download pode ser feito no site da WarGaming.

Categorias
Análises
Assinaturas

ARTIGOS RELACIONADOS

Newsletter PCGuia
Subscreva a newsletter da PCGuia para ficar a par das últimas notícias, dicas e análises de hardware e software.
Subscrever
close-link