Notícias

EDP Distribuição, INESC TEC, WITHUS e NOS conduzem inquérito nacional sobre a energia do futuro

energy-new

A EDP Distribuição – Energia, S.A., o INESC TEC (Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência), a WITHUS – Inovação e Tecnologia, Lda. e a NOS são as entidades portuguesas que fazem parte do projecto europeu UPGRID que, com um orçamento de 15,7 milhões de euros, vai, até 2017, instalar quatro grandes demonstradores de redes eléctricas inteligentes em Portugal (Parque das Nações), Espanha (Bilbau), Suécia (Åmål) e Polónia (Gdansk).

É no sentido de melhor viabilizar o cumprimento deste objectivo que os parceiros nacionais do projecto se juntaram para avaliar o grau de conhecimento dos portugueses em relação à rede eléctrica do futuro. Pretende tornar-se acessível aos utilizadores finais o controlo dos seus dispositivos eléctricos e consequentemente do seu consumo de energia eléctrica.

«As respostas que iremos obter nos inquéritos irão despoletar uma série de acções adequadas para sensibilizar os portugueses a compreender a forma como utilizam a sua energia eléctrica. Acima de tudo, pretendemos que a população portuguesa compreenda que o conhecimento do consumo e controlo dos diversos dispositivos eléctricos existentes nas suas habitações irá permitir, num futuro próximo, obter ganhos significativos na eficiência energética com vantagens não só económicas, mas também ambientais», explica Luís Seca, coordenador do Centro de Sistemas de Energia do INESC TEC.

Para incentivar os portugueses a participar no inquérito, vão ser atribuídos alguns prémios a anunciar no decorrer do processo e enviadas novidades acerca do projecto UPGRID a quem, na resposta ao inquérito, deixar o endereço electrónico.

«O tipo de resposta dos consumidores ao inquérito permitirá traçar o seu perfil quanto ao grau de conhecimento do funcionamento do sistema eléctrico, que será depois agrupado e tipificado em vários níveis. O inquirido vai ter acesso a toda esta informação», afirma o investigador do INESC TEC.

O caminho para as redes eléctricas inteligentes foi impulsionado pelo aparecimento dos contadores inteligentes, cuja leitura pode ser feita à distância, e que vieram facilitar a comunicação entre o operador da rede e o consumidor. Quando aliados a outros equipamentos, também fornecem ao operador informação importante sobre o estado da rede, e permitem ao consumidor saber, em tempo real, exactamente qual o consumo de cada um dos electrodomésticos que tem em sua casa.

Ao criarem a possibilidade de interacção permanente entre o operador da rede eléctrica, o consumidor e os equipamentos instalados na rede e nos locais de consumo, tornam possível, a todo o instante, a tomada de decisões e acções que desviem fluxos de energia evitando, assim, problemas pontuais de sobrecarga, provocados por concentrações ocasionais de procura de energia.

O inquérito vai estar disponível até finais de Dezembro, altura em que vão começar a ser traçados os perfis. No início de 2017, as quatro entidades portuguesas que fazem parte do projecto vão tornar públicos os resultados e, a partir daí, promover uma série de acções de sensibilização para esta questão.

Via INESC TEC.

PCGuia
Este site utiliza cookies. Ao continuar a utilizá-lo estará a aceitar a nossa política de privacidade e os nossos Termos de utilização. Mais informação acerca da forma como utilizamos cookies está disponível aqui.
×