Halcyon: Syfy estreia série híbrida com realidade virtual

O canal SyFy estreia hoje, em exclusivo, uma nova mini-série híbrida, que mistura realidade virtual com actores de carne e osso. Fomos até Madrid conhecer a série e falar...
Halcyon Syfy

O canal SyFy estreia hoje, em exclusivo, uma nova mini-série híbrida, que mistura realidade virtual com actores de carne e osso. Fomos até Madrid conhecer a série e falar com os criadores… mas em realidade virtual.

Embora Halcyon aposte forte no mundo da tecnologia, recorre a um enredo clássico para contar a sua história: um crime. Num total de dez episódios para televisão, a trama vai acompanhar as aventuras da detective Jules Doves, interpretada por Lisa Marcos, e da sua parceira Asha, interpretada pela actriz Harveen Sandhu, que têm a seu cargo a investigação da morte de Blake Creighton (Michael Therriault). Até aqui, tudo normal, tirando a parte de a acção da série se passar em 2040 e de se tratar de um crime virtual.

Blake Creighton é o CEO da empresa líder do mercado de dispositivos de realidade virtual, Halcyon – que dá nome à série. Logo no primeiro episódio, Creighton é assassinado através do seu implante neurológico, algo que o empresário quer lançar no mercado. Assim, a detective Jules Doves e Asha, que é dotada de Inteligência Artificial, consideraram a possibilidade de este ser o primeiro crime virtual a nível mundial.

Os responsáveis pela série Benjamin Artmann e Stefan Grambart explicam a razão para a escolha deste tipo de enredo, durante a sessão de questões feita em realidade virtual, numa ligação entre Madrid, Paris e São Francisco. Em modo avatar, Benjamin Artmann diz que o objectivo foi passar uma «história mais ao alcance do público em geral, para ser mais confortável. Se mergulharmos logo em algo como Citizen Kane em realidade virtual, seria ir longe demais», explicou.

Halcyon Syfy Q&A

Benjamin Artmann também abordou as dificuldades de uma produção deste género – afinal, trata-se da primeira experiência do género. «A produção foi muito interessante, única. Não havia um mapa para criar algo do género. Há um caminho a seguir de como fazer televisão, há um caminho para os jogos, um caminho de como se faz. Mas fazer algo híbrido, com realidade virtual, mas linear, é muito novo. É como se estivéssemos a colocar os caminhos-de-ferro quando o comboio já partiu, à falta de melhor metáfora», explicou.

A série é feita pelo estúdio Secret Location, conhecido pela aposta feita nas novas tecnologias. No portefólio, contam já com nomeações nos Cannes Lions e nos Emmy, muito devido ao uso das plataformas emergentes na forma como transmitem os seus conteúdos.

Em relação à série propriamente dita, quem não for fã de realidade virtual ou não tiver dispositivo do género, vai poder acompanhar a parte mais ‘tradicional’ da coisa, através da televisão. Mas as potencialidades revelam-se usando realidade virtual, obviamente. O espectador tem uma experiência diferente, quase como se fizesse parte da acção. É possível, através de VR, ajudar na investigação do crime e até interagir com objectos, enquanto se explora o cenário da série. Se é uma forma diferente de ‘ver televisão’? Sem dúvida, muito mais imersiva, mas perde-se parte do conforto a que estamos habituados ao ver uma série.

Halcyon estreia hoje, às 21h25, no Syfy. Haverá cinco episódios em realidade virtual, para os dispositivos Oculus Rift e Samsung Gear VR. Quem não tiver um destes brinquedos mas não quer perder nada da série, os cinco episódios em VR vão ter direito a resumo no site do Syfy. Para ter acesso à parte de realidade virtual, terá de instalar a aplicação Halcyon para a respectiva plataforma.

Categorias
Reportagem PC Guia

É fã de tecnologia que lhe permita facilitar a vida e tem pavor a todo e qualquer sinal que diga bateria fraca. Passa a vida a ouvir música.
Assinaturas

ARTIGOS RELACIONADOS

Newsletter PCGuia
Subscreva a newsletter da PCGuia para ficar a par das últimas notícias, dicas e análises de hardware e software.
Subscrever
close-link