Universidade de Boston processa a Apple

Tal como já tinha feito com a Amazon e a Samsung, a Universidade de Boston, processou a Apple por esta, alegadamente, ter infringido uma patente, que data a 1997, de uma tecnologia relacionada com os semicondutores.

Segundo a notícia do site Engadget, aquela instituição deseja uma indemnização por danos causados e que o iPad, o iPhone 5 e o MacBook Air, os dispositivos que supostamente violam a patente, deixem de ser vendidos nos EUA.

A validade da patente em causa expira em 2015, o que significa que uma vitória da Universidade de Boston em tribunal terá um efeito relativamente pequeno sobre o futuro da Apple e sobre os seus produtos.