Microsoft defende Xbox One

Xbox One 03

Em resposta às críticas expressas pelos consumidores em relação à consola Xbox One, o vice-presidente da divisão Marketing and Strategy da Microsoft, Yusuf Mehdi, disse que “Esta é uma grande mudança, os consumidores nem sempre gostam da mudança, mas temos de educar para certificar de que as pessoas entendem”.

Segundo a notícia do site Ars Technica, a reacção dos consumidores não foi uma surpresa para Mehdi. Este executivo disse na entrevista que a empresa já estava à espera das críticas.

Na Xbox One, ter todos os jogos como downloads ligados à nuvem permite a existência de novas funcionalidades, como ser capaz de aceder a uma biblioteca pessoal a partir da casa de um amigo com um único login, ou emprestar jogos até dez “conhecidos”, tanto digitalmente como remotamente.

Estes “benefícios” digitais vão estar disponíveis no lançamento, mas Mehdi deu a entender que a transição da gestão de direitos digitais poderá, posteriormente, desbloquear novos métodos de distribuição e de acesso a jogos.

Ele também sugeriu que a transição para um mundo de jogos estritamente online e em download poderá permitir às editoras de jogos adoptarem “uma diversidade de modelos de negócios”, que passa pelo modelo free-to-play.

As editoras de jogos são as maiores defensoras do fim do mercado dos jogos usados, com algumas delas a sugerir que os jogos usados são quase comparáveis à pirataria. Mas Mehdi disse que a Microsoft não “cedeu” simplesmente às exigências das editoras com os novos termos de licenciamento dos jogos.

Em vez disso, a empresa tentou alcançar um equilíbrio entre as necessidades dos consumidores, das editoras de jogos, dos lojistas e da própria Microsoft como empresa.

Embora a Xbox One vá ser comercializada com um preço acima do da PlayStation 4, Mehdi sugeriu que a diferença vai compensar a todos aqueles que procuram o “melhor valor” num sistema de jogos da próxima geração.