Microsoft dá luta às botnets

A Microsoft anunciou que a sua unidade dedicada aos crimes digitais desmantelou mais de 1400 redes criminosas.

A empresa diz que a acção foi um esforço coordenado com a indústria de serviços financeiros e contou com a ajuda do FBI, o que permitiu desligar vários servidores situados na Nova Jérsia e na Pensilvânia, EUA.

Estas máquinas foram utilizadas para infectar computadores com o malware Citadel, que permitiu aos criminosos obterem informações sobre as contas das suas vítimas.

De acordo com a notícia da Reuters, as autoridades policiais ainda não sabem a identidade dos criminosos envolvidos, mas a Microsoft acredita que o líder vive algures na Europa e que pode estar a comandar uma rede de 80 ou mais cúmplices.

A Microsoft fez saber que vai usar os dados recolhidos para ajudar os ISPs a detectar e a notificar os utilizadores caso os seus computadores estejam infectados.