Apple acusada de conspirar com as editoras de livros para aumentar preços dos livros electrónicos

Apple HQ 01

De acordo com o noticiado pelo site Bloomberg, procuradores da justiça norte-americanos afirmam num documento entregue em tribunal que a Apple violou as leis da concorrência ao ter conspirado com as editoras de livros para aumentar os preços dos livros electrónicos, ou ebooks, num esforço “para retirar aos lojistas qualquer autoridade sobre os preços”.
Numa acção judicial entregue pelo Departamento da Justiça em Abril de 2012, o governo norte-americano acusou a empresa de Cupertino e cinco editoras de concertação de preços nos livros electrónicos para aumentar os lucros e forçar a loja Amazon a abandonar sua política de descontos.
As cinco editoras envolvidas, a Hachette Book Group, HarperCollins Publishers, Simon & Schuster, Macmillan Publishers, e Penguin Group acabaram por chegar a um acordo com a justiça americana.
A Apple, por seu lado, entregou ao tribunal um documento onde nega as acusações dos procuradores, dizendo que não ocorreu qualquer concertação de preços, mas sim negociações constantes e detalhadas com cada editora.
No passado mês de Março a Juíza Denise Cote decidiu que o CEO da Apple, Tim Cook, deverá ser testemunha no julgamento que vai decorrer em Manhattan já no próximo mês de Junho.