Sou director da PCGuia há alguns anos e gosto de tecnologia em todas as suas formas. Estou neste mundo muito por culpa da minha curiosidade quase insaciável e por ser um fã de ficção científica.

O lançamento dos novos processadores Kaby Lake da Intel, acompanhados pelos respectivos chipsets Z270, obrigou, como sempre, os fabricantes de motherboards a lançar produtos concebidos para este novo hardware. A MSI fez-nos chegar três motherboards com o novo chipset, mas infelizmente só tivemos hipótese de testar a Z270 Gaming Pro Carbon a tempo de a inclui na edição de Março da PCGuia.

Como o nome indica, esta motherboard foi pensada para a elaboração de builds para jogos e é compatível com processadores Intel Core de sexta e sétima gerações, bem como processadores Celeron que usem o socket LGA1151.

Bem equipada
Esta motherboard permite a utilização de memórias RAM DDR4 até um máximo de 64 GB e suporta o sistema de optimização de memória Extreme Memory Profile da Intel (XMP).

Existem três slots PCI Express 16X, mas se usar mais do que uma gráfica, as velocidades são reduzidas para metade nos dois primeiros slots. Se usar os três slots, as velocidades serão de 8X em dois e de 4X no terceiro. Esta placa é compatível com os sistemas de gráfica dupla da Nvidia e da AMD.

Se não quiser usar uma placa gráfica PCI Express, pode usar os gráficos fornecidos pelo GPU integrado nos processadores Core e, para tal, poderá usar a entrada HDMI ou a DVI que estão integradas na motherboard.

No que respeita às ligações para dispositivos de armazenamento, a Z270 Gaming Pro Carbon tem seis ligações SATA 6Gb/s (que podem ser usadas para a construção de sistemas RAID 0, RAID 1, RAID 5 e RAID 10) e duas slots para discos SSD M.2. Estes últimos suportam PCIe 3.0X4, SATA 6Gb/s e drives com tecnologia NVMe PCIe x4, como as Samsung M.2 EVO 960 Pro. A MSI Z270 Gaming Pro Carbon tem dezasseis entradas USB, entre as ligações internas e externas. De notar, ainda, a existência de uma entrada USB Type-C no painel traseiro.

A nova motherboard da MSI tem uma concepção e acabamento muito cuidados e inclui algumas soluções interessantes, como é o caso do dissipador de calor para a drive SSD M.2 interna, que consegue limitar o aquecimento destes componentes – só é pena que exista apenas um. A designação ‘Carbon’ vem das aplicações que fazem lembrar fibra de carbono espalhadas pelos escudos de vários componentes, como os condensadores que regulam a energia que chega ao processador ou ao chipset.

RGB não é crime!
Esta placa inclui, ainda, um sistema de iluminação RGB que pode ser controlado através de software da MSI, que permite dar um toque extra de personalização ao seu sistema. Para testar a MSI Z270 Carbon usámos um processador Intel Core i7 7700-K, 32 GB com memória RAM DDR4, um SSD Corsair Neutron XT e uma gráfica GeForce 980. O sistema operativo usado foi o Windows 10 de 64 bit.

O desempenho obtido foi bastante interessante e em linha com os resultados conseguidos nos testes que já fizemos a outras motherboards com este chipset.

PCMark 8 3DMark FS AIDA 64 Read AIDA 64 Write Cinebench R11 Metro Last Light
4826 9120 41 186 41 220 10,34 105 FPS

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *