PCGuia Pro
Está a ler
Seis tendências tecnológicas que as PME devem seguir em 2017
0

Seis tendências tecnológicas que as PME devem seguir em 2017

por Luis Vedor11 Janeiro, 2017

Klaus-Michael Vogelberg, Chief Technology Officer (CTO) da Sage, prevê seis grandes tendências em 2017 que podem fazer uma grande diferença na forma como os empreendedores irão trabalhar este ano e nos que se seguem.

1. Chatbots e assistentes virtuais
Os assistentes virtuais tais como os chatbots vão tornar-se cada vez mais comuns em diferentes dispositivos e nas interfaces de utilizador que os empresários utilizam para gerir e controlar as suas empresas.

Estas interfaces vão alterar a forma como humanos e computadores trabalham e interagem. Eventualmente, o software será capaz de trabalhar sem intervenção do utilizador, ou utilizar toda a informação recolhida em actividades futuras.

2. Inteligência artificial
De acordo com Klaus-Michael Vogelberg, a inteligência artificial é outra das grandes tendências a acompanhar, mesmo pelas pequenas empresas. Com a expansão do volume de dados gerada por todo o tipo de sensores e dispositivos de um lado, e o software de análises especial e os agentes inteligentes cada vez mais acessíveis e poderosos do outro, as empresas precisam de encontrar formas de extrair conhecimento da actual riqueza do Big Data.

3. Tecnologia Blockchain
De acordo com a Sage, os empreendedores devem analisar cuidadosamente se, e quando, a nova tecnologia blockchain pode impactar os seus modelos de negócio actuais.

Todas as indústrias que trabalham como intermediárias entre duas partes podem ser afectadas por esta abordagem inovadora. O blockchain organiza transacções de bens digitais entre duas partes de uma forma totalmente inovadora. Em vez de utilizar intermediários como bancos, notários, autoridades estatais ou plataformas comerciais para legitimar a troca de determinados bens – tais como propriedades digitais, mercadoria comercial digital, contratos digitais, ou até mesmo transacções financeiras através de moedas digitais – os blockchains permitem aos indivíduos transferirem esses bens de uma forma directa, segura e imutável entre eles.

Um livro-mestre descentralizado, que é essencialmente uma base de dados de bens partilhado entre múltiplos participantes, combinado com algoritmos cripto-económicos são a base tecnológica de um blockchain. Todos os participantes de um blockchain (chamados de nodes) têm acesso ao livro-mestre divulgado, que contém um inventário de todos os bens digitais relevantes.

Todas as partes dentro desta rede têm a sua própria cópia idêntica do livro. Quaisquer alterações são aplicadas em todas as cópias em apenas alguns minutos ou mesmo segundos.

4. Revolucionar o movimento de dinheiro
A forma como as pessoas utilizam o dinheiro e realizam as suas transferências e pagamentos sofreu já grandes alterações, principalmente porque através de dispositivos móveis os utilizadores já conseguem realizar transacções e compra de bens através de um clique. Em 2017, novas soluções irão permitir às empresas estabelecer uma cadeia de pagamentos integrada e automatizada com os seus fornecedores e clientes. Estas novas soluções permitem realizar pagamentos a toda a hora e em todo o lado, de forma imediata e em vários canais e estarão totalmente integrados com os sistemas contabilísticos financeiros das empresas do futuro.

5. Infraestruturas baseadas em plataformas
Em 2017, mais e mais PME irão substituir os seus sistemas de software por soluções integradas de software na cloud.

«A grande vantagem destas plataformas é que oferecem, mesmo às empresas mais pequenas, acesso a serviços e soluções de software empresarial inovadoras que estas não teriam capacidade de adquirir há cinco anos atrás. Em certa medida, este tipo de plataformas Cloud está a democratizar a forma como as empresas têm acesso a aplicações de última geração e a tecnologias inteligentes e escaláveis», disse Klaus-Michael Vogelberg.

6. Internet of Things vai criar novos serviços e perfis de trabalho
As pequenas e médias empresas devem procurar as novas oportunidades que surgem com a IoT no quotidiano. Múltiplos fluxos de dados oriundos de todo o tipo de sensores incorporados em máquinas, carros, bens móveis e imóveis, irão resultar num verdadeiro tesouro valioso de informação, criando assim uma grande diversidade de novos serviços.

Via Sage.

Acerca do autor
Luis Vedor
Terra. Europa. Portugal. Lisboa. Elite: Dangerous. Blade Runner. Star Trek. Star Wars. Kraftwerk. Project Pitchfork. Joe Hisaishi. Studio Ghibli.

Deixe um comentário