Vai ser possível aceder à Internet em zonas remotas do oceano

O objectivo do projecto BLUECOM+, que está a ser desenvolvido pelo INESC TEC, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e a MARLO AS (parceiro norueguês), é...
BLUECOM-New-01

O objectivo do projecto BLUECOM+, que está a ser desenvolvido pelo INESC TEC, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e a MARLO AS (parceiro norueguês), é facilitar actividades como a exploração de recursos minerais no fundo oceânico, monitorização ambiental ou actividades mais tradicionais como a pesca ou o transporte marítimo, que exigem cada vez mais o acesso a comunicações no mar, de modo a ligar pessoas e sistemas à Internet.

O conceito do projecto baseia-se na utilização de balões de hélio ancorados, por exemplo, em bóias, embarcações ou parques eólicos, que formam uma rede de banda larga a operar nas bandas de frequência libertadas pela televisão analógica, de modo a garantir ligações rádio de longo alcance.

O projecto tem como objectivo construir um protótipo da solução de comunicações sem fios e demonstrá-lo em ambiente marítimo, no próximo Verão, recorrendo a duas embarcações do IPMA que vão funcionar como pontos de ancoragem dos balões de hélio.

O BLUECOM+ está alinhado com a iniciativa TEC4SEA, que o INESC TEC tem vindo a desenvolver desde 2012 com sistemas como o JANUS, que tem como objectivo transformar os barcos de pesca em pontos de retransmissão de sinal de Internet para outras embarcações que não estejam em alcance da rede terrestre, ou o MARBED, uma rede wireless marítima piloto instalada na costa da área metropolitana do Porto.

Via INESC TEC.

Categorias
HardwareInternetNotícias

Terra. Europa. Portugal. Lisboa. Elite: Dangerous. Blade Runner. Star Trek. Star Wars. Kraftwerk. Project Pitchfork. Joe Hisaishi. Studio Ghibli.
Sem comentários

Deixe um comentário

*

*

Publicidade

RELACIONADOS

Insira o seu nome e endereço de e-mail para receber as newsletters da PCGuia